Cristiano Ronaldo pode bater recorde de Pelé e ser o primeiro a marcar em cinco Copas; entenda

Portugal estreia na Copa do Mundo diante de Gana, nesta quinta-feira, às 13h (de Brasília), no Estádio 974, com Cristiano Ronaldo próximo de atingir um recorde: basta marcar uma vez no Catar para se tornar o primeiro jogador na história dos Mundiais a balançar as redes em cinco edições diferentes. De quebra, superaria as marcas de Pelé e Lionel Messi.

Além de Pelé e Messi, Cristiano Ronaldo irá superar mais outros dois jogadores — os alemães Miroslav Klose e Uwe Seller. Ao todo, o português tem sete gols marcados em Mundiais divididos em quatro edições até o momento: um na Alemanha-2006, um na África do Sul-2010, dois no Brasil-2014 e três na Rússia-2018.

Pelé, por exemplo, marcou nas Copas do Mundo de 1958, 1962, 1966 e 1970. Titular de Portugal e confirmado pelo técnico Fernando Santos para a estreia diante de Gana, Cristiano Ronaldo já declarou que este será o seu último Mundial.

Maior rival de Cristiano Ronaldo nesta geração, Lionel Messi entrou para a galeria de atletas que marcou em quatro Copas do Mundo diferentes no Catar — ao balançar as redes diante da Arábia Saudita, na estreia da Argentina no torneio. No entanto, deixará a liderança compartilhada deste ranking caso o português deixe a sua marca.

Outro recorde em meio às polêmicas

Cristiano Ronaldo também entrará para o seleto grupo de jogadores que disputaram cinco Copas na história. Além dele, estão os mexicanos Antonio Carbajal (1950-1962) e Rafael Márquez (2002-18), o alemão Lothar Matthäus (1982-98), o italiano Gianluigi Buffon (1998-2014) e outros três atletas que entraram na galeria neste Mundial — o argentino Lionel Messi (2006-2022) e os mexicanos Andrés Guardadao e Guillermo Ochoa (2006-2022).

Neste momento, o português tem convivido com polêmicas. Na última terça-feira, foi anunciado que Cristiano Ronaldo não era mais jogador do Manchester United. O clube inglês divulgou nota oficial informando que chegou a um acordo para rescindir o contrato com o atleta e o futuro é incerto — há clubes da Europa, da Oceania e da América do Norte de olho no craque.

— Amo o Manchester United e os seus torcedores, isso nunca vai mudar. Porém, sinto que este é o momento certo para procurar um novo desafio — disse o atacante em comunicado à imprensa europeia e depois replicado pelo próprio CR7 em suas redes sociais horas depois.

O técnico Fernando também garantiu que não ouviu nenhum jogador falando sobre o tema Cristiano Ronaldo na concentração lusa.

— Não, não acho que possa tirar o foco. Todos estão muito focados. Não ouvi qualquer comentário sobre este assunto no espaço de trabalho e de lazer conjunto. Ainda hoje estavam 20 a ver o jogo, uns a jogar matraquilhos e outros a fazer outras coisas, e nunca ouvi uma conversa deste tema. Não é tema nem assunto, nem do próprio. Mas se depois lá no quarto, nas horas sozinhos, se ligam para aqui e para ali… Têm tempo para fazerem o que querem. Há um foco total dos meus jogadores e um espírito fantástico, convictos do que têm para fazer

No Instagram, o camisa 7 português segue em alta. Nesta semana, foi a primeira pessoa no mundo a alcançar a marca de meio bilhão de seguidores na rede social. Isso se deu também após outra campanha publicitária de sucesso da Louis Vuitton: uma foto do craque português ao lado de Lionel Messi, com quem disputou ao longo dos anos a posição de melhor jogador do mundo.