De Cristiano Ronaldo a Salah, veja astros que ainda precisam garantir vaga na Copa do Qatar

·2 min de leitura

O ano começa hoje e 13 seleções já têm uma data circulada na agenda de 2022: 21 de novembro, quando será o pontapé inicial para a Copa do Mundo do Qatar — a primeira no Oriente Médio e disputada nos últimos meses do calendário. A seleção brasileira é um desses times com passaporte em mãos e usará os jogos finais das Eliminatórias Sul-Americanas para ajustes, testes, além decidir os poucos postos abertos na lista de 23 convocados.

Mas o ano não se inicia tão tranquilo para muitos astros. Cinco dos 10 melhores jogadores do mundo na última Bola de Ouro, da France Football, ainda não conseguiram levar suas seleções ao Qatar. Entre eles, Cristiano Ronaldo que deixou a vaga escorrer entre os dedos, em novembro. Os portugueses estavam a um empate da classificação, saíram na frente contra a Sérvia, em casa, mas sofreram a virada por 2 a 1, nos minutos finais. Os sérvios se garantiram.

Perto de completar 37 anos, Ronaldo está em busca de sua quinta Copa, o que o faria igualar o recorde do alemão Lothar Matthaus e dos mexicanos Carbajal e Rafa Márquez. Mas a missão será duríssima: em 24 de março, no Estádio da Luz, enfrenta a Turquia. Se vencer, encara o ganhador de Itália e Macedônia do Norte, no dia 29.

Os italianos precisam lutar muito para evitar a ausência pelo segundo Mundial seguido. A Azzurra, que conta com Donnarumma e Jorginho (dois dos melhores do mundo), fazia uma temporada incrível: em julho, conquistou a Eurocopa, superando a Inglaterra em pleno Wembley. Além disso, chegou a 37 jogos de invencibilidade em três anos, o recorde mundial de partidas sem perder entre seleções masculinas.

Mas o último trimestre custou caro. Em outubro, a série invicta foi interrompida ao perder por 2 a 1 para a Espanha na semifinal da Liga das Nações. Nas duas rodadas decisivas das Eliminatórias, a Azzurra empatou com Suíça (1 a 1) e Irlanda do Norte (0 a 0), cedendo a vaga direta para os suíços.

Último a vencer o prêmio The Best, da Fifa, em 2020, Lewandowski também corre risco de ficar fora do Qatar. Sob o comando de Paulo Sousa, que trocou a seleção pelo Flamengo nesta semana, a Polônia terminou em segundo no Grupo I, atrás da Inglaterra, e vai enfrentar a Rússia, em Moscou, na repescagem. Se vencer, encara Suécia ou República Theca.

Nos outros continentes, as Eliminatórias também entram em reta final. Na América do Sul, restam quatro rodadas. Na América do Norte e Central, sete. Na Ásia, cujo os dois melhores de cada grupo vão ao Qatar, faltam três rodadas. A da Oceania, que dá um lugar na repescagem, será toda jogada em março.

Na África, cinco vagas serão definidas em jogos de ida e volta entre os 10 classificados para a terceira fase. A expectativa é pelo Egito, de Salah, invicto na fase de grupos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos