Cristina Kirchner destaca solidaridade do Papa após tentativa de assassinato

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, mencionou nesta quinta-feira a solidariedade do Papa Francisco, seu compatriota, após ser vítima há duas semanas de uma tentativa de assassinato em Buenos Aires, da qual saiu ilesa "graças a Deus e à Virgem", manifestou.

"O Papa me telefonou bem cedo no dia seguinte e me disse algo como que os atos de ódio e violência são sempre precedidos de palavras e verbos de ódio", declarou Cristina diante de representantes da Igreja Católica que trabalham nos bairros pobres, em sua primeira aparição pública desde o ataque.

"Sinto que estou viva por Deus e pela Virgem, realmente. Então me pareceu que se eu tinha que agradecer a Deus e à Virgem, deveria fazê-lo cercada de padres dos pobres e de irmãs laicas e religiosas", expressou a vice-presidente, 69, que divulgou em sua conta no Twitter a reunião, realizada na sede do Congresso.

nn/dm/yow/lb