Criticada por Lula, PM do DF é a mais bem paga do país

Apontados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como "negligentes" no combate aos atos terroristas do Distrito Federal, os policiais militares de Brasília são os mais bem pagos do Brasil. De acordo com dados do último Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança, os profissionais tinham salário líquido médio de R$ 9.743 em 2021. O valor é mais alto do que a média nacional, de R$ 6.051. Nesta segunda-feira, o Ministério Público do Distrito Federal (MPDF) solicitou às forças policiais informações sobre a atuação antes e durante os ataques terroristas às sedes dos três poderes.

Patrimônio público: Michelle Bolsonaro fala sobre estado do Alvorada após Janja apontar descuido

Confira: Coronel da reserva vai a ato golpista e xinga oficiais: 'Exército de merda'; vídeo

Segundo o MPDFT, se houver qualquer indício de irregularidade na atuação de qualquer uma das forças policiais, civil ou militar, o órgão vai abrir investigação para apurar fatos e responsabilidades. Em imagens compartilhadas nas redes sociais, policiais aparecem tirando fotos e filmando os manifestantes extremistas que atacaram as sedes dos três poderes.

A Controladoria-Geral do Distrito Federal também abriu processo investigativo para apurar a possível participação de servidores do governo nos atos de vandalismo. "Os servidores civis, em exercício, que forem identificados como tendo participado ou contribuído em condutas irregulares serão responsabilizados no rigor da Lei", diz nota Controladoria.

O MP um canal específico de comunicação exclusivo para receber denúncias sobre os ataques. Quem tiver vídeos, fotos ou qualquer conteúdo que contribua para as investigações poderá encaminhar para o e-mail falecom@mpdft.mp.br.

Lula critica a ação policial

Ao comentar os ataques, Lula disse que os policiais que atuaram na Esplanada dos Ministérios foram negligentes.

— A polícia de Brasília negligenciou. A inteligência de Brasília negligenciou. É fácil a gente ver nas invasões os policiais conversando com os agressores. Já no dia 12, na minha diplomação, o quebra-quebra que teve em Brasília, a PM acompanhava as pessoas tocando fogo em ônibus e nada foi feito. Havia conivência explicita da policia apoiando os manifestantes — disse antes de decretar a intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal.