Criticado, autor de "Pantanal" se recusa a mudar trama: "Público tem que aceitar"

Bruno Luperi é autor do remake de
Bruno Luperi é autor do remake de "Pantanal" (FOTO: Globo/Maurício Fildago)

Bruno Luperi recebeu muitas críticas nos últimos meses por não modificar algumas tramas de "Pantanal". O autor do remake manteve praticamente todos os destinos dos personagens da novela original dos anos 90, e não cedeu à pressão do público por algumas mudanças.

"O público tem que aceitar. As mudanças que foram feitas são da ordem de produção. Por exemplo, não conseguimos gravar tudo no Pantanal por conta da pandemia, de problemas de elenco, de acidentes internos... A gente tem que adaptar isso. Não é uma mudança de de rumo. O rumo é este, a novela está estabelecida. É obra fechada, sim. Fiquei à disposição da direção e ainda estou, para alterar o que for preciso para a história acontecer", contou ele para a jornalista Patricia Kogut.

Luperi contou que foi pressionado a mudar o destino de Trindade (Gabriel Sater), que acaba abandonando Irma (Camila Morgado) para protegê-la de uma entidade demoníaca. O público queria um final feliz entre o violeiro e a carioca, e muitos não aceitam que a personagem termine ao lado de José Lucas (Irandhir Santos).

"Isso é mérito do Gabriel Sater, do carisma que ele tem, o público ficou doido por ele. E a Camila é sensacional. É um casal que deu química, difícil de desfazer. Mas a vida é assim, casais são desfeitos. Vamos ver até o final. Eu considero que as decisões que podiam ser tomadas foram tomadas. É muito mais confortável olhar de fora e apontar".

O autor comentou que precisou também seguir o roteiro original a pedido do avô, Benedito Ruy Barbosa, que assinou a primeira versão de "Pantanal". "Meu avô é um autor muito convicto do que ele escreve. Ele teve que conviver com o fato de que outra pessoa tomaria as decisões que no passado ele tomou sozinho. Isso não é fácil para um autor".