Criticado por Bolsonaro na ONU, "passaporte da vacina" ajudou RJ a chegar a 100% dos adultos imunizados

·2 minuto de leitura
Imunização avançou no Rio após implementação do passaporte da vacina (André Borges/AFP via Getty Images)
Imunização avançou no Rio após implementação do passaporte da vacina (André Borges/AFP via Getty Images)
  • Eduardo Paes celebrou os resultados da primeira semana do passaporte da vacina no Rio

  • Segundo ele, foi a implementação do programa que fez a cidade se aproximar dos 100% de imunizados

  • Na última terça-feira, Bolsonaro discursou contra o passaporte na Assembleia Geral da ONU

O prefeito Eduardo Paes (PSB) veio a público na última terça-feira para celebrar os números da primeira semana do passaporte da vacina no Rio de Janeiro. Segundo ele, a exigência de comprovante fez com que o número de imunizados na cidade beirasse os 100%.

“A gente tinha empacado em mais ou menos 95%, 96% (da população adulta vacinada), com o passaporte a gente foi para quase 100%”, declarou em transmissão realizada nas suas redes sociais. “Tinham uns 4% ou 5% mais rebeldes que entenderam a importância da vacina e foram se vacinar.”

Leia também

Paes explicou que o Rio tem, agora, 99,7% da população adulta vacinada ao menos com a primeira dose, sendo que 64,6% está totalmente imunizada. Com o avanço, o município entrou em nova fase de flexibilização e liberou eventos com até 500 pessoas em locais abertos.

O prefeito afirmou que a implementação do passaporte da vacina visa reestabelecer a vida normal na capital fluminense e disparou contra os negacionistas.

Bolsonaro discursou na Assembleia Geral da ONU (Eduardo Munoz/POOL/AFP via Getty Images)
Bolsonaro discursou na Assembleia Geral da ONU (Eduardo Munoz/POOL/AFP via Getty Images)

“Para as pessoas menos inteligentes, com menos neurônios, que são contra a vacina, que acham que a terra é plana, que é tudo uma conspiração comunista, entendam que nosso objetivo é justamente permitir que a cidade volte a sua vida normal, que a atividade econômica volte, que as pessoas possam ter o mínimo de convívio.”

Bolsonaro criticou passaporte em discurso

A declaração é um recado aos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que voltou a atacar o passaporte da vacina em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, na última terça-feira.

"Apoiamos a vacinação, contudo, o nosso governo tem se posicionado contrário ao passaporte sanitário ou a qualquer obrigação relacionada a vacina", comentou.

Na ocasião, Bolsonaro voltou defender o chamado “tratamento precoce”, mesmo com comprovações científicas da ineficácia do método.

“Eu mesmo fui um desses que fez tratamento inicial. Respeitamos a relação médico-paciente na decisão da medicação a ser utilizada e no seu uso off-label. Não entendemos porque muitos países, juntamente com grande parte da mídia, se colocaram contra o tratamento inicial. A história e a ciência saberão responsabilizar a todos.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos