Crivella canta samba e tenta desfazer imagem de falta de apoio ao Carnaval

Andre Melo/Futura Press

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Acusado de desprestigiar o desfile das escolas de samba em seu primeiro ano de mandato como prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB) se valeu de um samba numa tentativa de fazer as pazes com os organizadores da festa.

O maior evento popular do país viu minguar os subsídios dados pela prefeitura nesta edição -cada escola do grupo especial recebia R$ 2 milhões do município. Crivella reduziu os repasses pela metade.

Nesta quinta-feira (11), ao anunciar os preparativos para o Carnaval do Rio, Crivella parodiou um verso da canção "O samba da minha terra", de Dorival Caymmi. Em vez do trecho original "quem não gosta de samba, bom sujeito não é", Crivella cantou "quem não gosta de samba, bom prefeito não é".

"Fizemos um esforço enorme para apresentar um carnaval muito bonito, que a gente espera que seja calmo, sem violência.", disse. "Soltamos os recursos nos momentos mais difíceis. Muitos vão desfilar com o coração estraçalhado de tristeza, mas estão de pé. Isso é uma lição extraordinária."

Crivella também rebateu as críticas que pesam sobre sua gestão de que os cortes nos subsídios que amparavam com mais fôlego os desfiles ocorreram por questões religiosas. Crivella é bispo licenciado da igreja evangélica Universal.

"São argumentos que não se sustentam. O prefeito precisa muitas vezes enfrentar dificuldades e priorizar recursos mesmo tendo que amargar críticas. E isso eu tive que fazer. Mas isso ergueu nossas forças, é na crítica que a gente cresce", afirmou.

Crivella não respondeu aos jornalistas se vai comparecer à Sapucaí para prestigiar os desfiles das escolas de samba. Procurada, a assessoria do prefeito informou que a agenda de Crivella durante o Carnaval ainda não definida.

O prefeito, no entanto, anunciou que vários políticos confirmaram presença nos desfiles do Rio, entre eles, João Doria (PSDB). "Serão todos bem-vindos".

NÚMEROS

O Rio de Janeiro espera receber 1,5 milhão de turistas durante o Carnaval deste ano, cerca de 400 mil a mais em relação à edição de 2017. Além dos desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí, a cidade vai contar com 464 blocos autorizados a desfilar nas ruas da cidade, segundo a Riotur (Empresa de Turismo do Rio de Janeiro).