Crivella diz que elogio de Bolsonaro a Paes foi estratégica política contra Martha Rocha

Felipe Grinberg
·3 minuto de leitura

O elogio de "bom administrador" que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez à Eduardo Paes (DEM) logo após declarar apoio ao Marcelo Crivella (Republicanos), na semana passada, foi visto pelo prefeito como uma estratégia política para tentar frear a subida da candidata do PDT, Martha Rocha, que está empatada numericamente com Crivella no segundo lugar, com 14% das intenções de voto, segundo a última pesquisa IBOPE.

Durante uma agenda no Centro do Rio nesta segunda-feira, Crivella afirmou que a costura entre sua candidatura à reeleição também passa por uma apoio ao presidente para as eleições de 2022, além de projetos para o futuro do Rio:

— Ele estava preocupado de a Martha crescer tirando o voto do Eduardo. Estratégia da política. Deixa o Eduardo e bota o Crivella no segundo turno. A ideia era essa. O presidente está firme na nossa campanha, e nesta noite o carioca vai ver o que conversamos na semana passada. Não foi apenas eleições, falamos também sore o futuro da cidade, como a retomada da economia — afirmou o prefeito.

Hoje à noite, deverá ser veiculado a propaganda eleitoral gravada por Marcelo Crivella junto com Bolsonaro na última sexta-feira em Brasília. No domingo, o prefeito postou em suas redes sociais o vídeo com o presidente. A propaganda fala em “convocação oficial do exército do bem”. Bolsonaro pede voto em Crivella contra o que chamou de “ideologia nefasta”, referindo-se à esquerda.

— Quem tem essa tendência de pintar de vermelho, essa ideologia nefasta que não deu certo em nenhum lugar do mundo... é mais um motivo para eu pedir ao eleitor vote no Crivella 10 para prefeito do Rio de Janeiro — diz o presidente, ao lado do prefeito.

Bolsonaro anunciou oficialmente na última quinta-feira seu apoio à reeleição de Crivella, durante a tradicional transmissão ao vivo pelas redes sociais. Ao citar os principais concorrentes do prefeito para o segundo turno, o presidente citou a possibilidade de Ciro Gomes, um dos principais patrocinadores da sua candidatura, ocupar um cargo em sua administração. Em relação a Paes, o presidente adotou um tom mais amigável e disse que ele é um "bom administrador", mas ressaltou preferir o atual prefeito.

— E o outro vocês conhecem também, é um bom administrador, mas eu fico aqui com o Crivella. Não tem muita polêmica, não. Se não quiser votar nele, fica tranquilo. Não vamos criar polêmica, brigar entre nós. Eu respeito os seus candidatos também.

Após o elogio, Eduardo Paes comemorou a fala de Bolsonaro. Em um vídeo gravado durante uma reunião com moradores da Zonal Sul, o ex-prefeito disse que Bolsonaro havia liberado seus apoiadores a votarem nele:

– Quem vota no Bolsonaro aqui levanta a mão. O Bolsonaro acabou de declarar em uma live que o candidato dele é o Crivella. Calma! Deixa eu terminar! Vou ganhar voto de Bolsonaro todo. Ele disse assim: "Mas não vou falar do outro não que a gente sabe que é um superadministrador". Então, está liberado os bolsonarista votar em em mim – disse Paes.