Crivella participa de culto e retorna para prisão domiciliar após enterro da mãe, em Minas Gerais

André Coelho
·1 minuto de leitura
Domingos Peixoto / Agência O Globo

Após duas horas e meia de velório, que contou com um culto a portas fechadas, finalizado com uma salva de Palmas, Crivella, amigos e familiares acompanharam o caixão de Eris até o local do sepultamento. Uma caixa de som foi ligada tocando uma música do próprio Crivella e levada junto do grupo. Crivella deixou o cemitério às 14h40 no carro da Seap, em direção ao Rio, onde retorna para a prisão domiciliar. Ele saiu antes dos amigos e familiares que participaram da cerimônia.

Além de amigos e familiares, políticos e lideranças evangélicas também participaram do velório. O deputado federal Otoni de Paula (PSC) foi um dos últimos a chegar, e ficou o tempo todo ao lado de Crivella. O pastor RR Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, também acompanhou a cerimônia ao lado dos filhos, o deputado estadual Filipe Soares (DEM) e o deputado federal David Soares (DEM-SP).

Ex-deputado estadual e segundo suplente do Republicanos na Câmara Federal, Benedito Alves, pastor da Igreja Universal, também acompanhou a cerimônia, assim como o bispo Célio Lopes. Nenhum deles quis falar com a imprensa.