Crivella pede para Bolsonaro vir ao Rio antes do primeiro turno

Felipe Grinberg
·3 minuto de leitura
Foto: Gabriel de Paiva/Agência O Globo
Foto: Gabriel de Paiva/Agência O Globo

RIO — O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) disse durante uma visita a obras no Hospital Municipal Paulino Werneck, na Ilha do Governador, divulgada como agenda de campanha, querer que o presidente Jair Bolsonaro venha ao Rio na próxima semana, a última antes do primeiro turno. Segundo a pesquisa do Datafolha, divulgada nesta quinta-feira, Crivella oscilou positivamente dois pontos percentuais, dentro da margem de erro. Esta foi a primeira pesquisa feita após o embarque formal de Bolsonaro na campanha do prefeito pela reeleição no Rio:

— Queria se fosse possível que o presidente Jair Bolsonaro vir e tivesse alguma agenda conosco. Candidato pede voto, visita, pede tudo, mas tem que ver se ele poderá atender — comentou o prefeito.

Segundo a pesquisa DataFolha, Crivella teve saltos em alguns segmentos, como no voto feminino — de 9% para 15%, na faixa dos jovens adultos de 25 a 34 anos — 11% para 17%, além de manter a liderança no voto evangélico com 32%. Na projeção para o segundo turno, a pesquisa aponta que Eduardo Paes venceria Crivella, Martha Rocha (PDT) e Benedita (PT). O prefeito, porém, aposta que o cenário poderá mudar caso vá para o segundo turno.

‘Guardiã’ acompanha visita a hospital

O prefeito foi visitar as obras do Hospital Paulino Werneck com a promessa que a unidade vá virar uma maternidade com leitos de UTI para gestantes com gravidez de risco. Além da presença de membros do primeiro escalão da prefeitura e de candidatos à vereador, Daniela Rocha Pinto de Jesus, apontada por participar do grupo “Guardiões” acompanhou a visita de Crivella, tirou fotos e conversou com o prefeito. Daniela é funcionária comissionada lotada no gabinete da prefeitura do Rio desde março de 2019 e recebe um salário bruto de cerca de R% 6,7 mil mensais.

Daniela também ficou conhecida por atuar fisicamente como uma “guardiã” no hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador. A unidade fica a menos de três quilômetros do hospital em obras visitado por Crivella nesta sexta-feira. Além da atuação na unidade de saúde, Daniela ficou conhecida por defender o prefeito também de forma online e até em em grupos de mães de estudantes da rede municipal de educação. Questionada pelo GLOBO nesta manhã do porquê da sua presença em uma agenda de campanha e a um hospital Daniela disse que teria que pedir autorização para conceder entrevista, mas afirmou participar da campanha fora do seu horário de expediente e que estava à caminho do gabinete para começar a trabalhar.

Daniela não é a única apontada por participar dos “Guardiões” que tem ido à agendas de campanha de Marcelo Crivella. Marcos Luciano, também lotado no gabinete do prefeito, e apontado como o chefe dos Guardiões tem participado de caminhadas e encontros da campanha pela reeleição. Nesta semana, Luciano, conhecido como “Marquinhos” e “ML” chegou a postar um vídeo com o prefeito dançando um jingle de Crivella ao ritmo de funk.

Candidata pega carona em carro oficial

Ao fim da agenda desta sexta-feira, o prefeito combinou com a ex-chefe da Guarda Municipal e atual candidata à vereadora Tatiana Mendes (Republicanos) em gravar um vídeo de apoio. O local escolhido seria uma praça próximo ao hospital que ambos tinham acabado de visitar. Para chegar ao local, Tatiana pediu uma carona no carro oficial junto a Crivella e foi prontamente atendida pelo prefeito.

Ao contrário da última eleição, onde procurou se desvincular da imagem de ex-bispo, o prefeito têm procurado reforçar suas posições em pautas de costumes, acenando para o público conservador:

— Quando eu tinha 14 anos queria uma namorada e pedi a Deus que me ajudasse a escolher. Se eu fosse escolher iria escolher perna, peito, boca e ia escolher mal. Naquele dia cheguei na igreja e encontrei a minha esposa. Quando a gente pede, recebe. O que você fizer, faça para Deus. Foi assim que saí lá de baixo e cheguei à prefeitura — disse a um grupo de trabalhadores da obra.