CRM vai investigar médico de MS que ameaçou não socorrer petistas: 'Não vou ajudar'; ouça

Um médico de Nova Andradina, no interior de Mato Grosso do Sul, será alvo de uma sindicância do Conselho Regional de Medicina (CRM) após o áudio em que ele ameaça "deixar morrer" eleitores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter sido compartilhado em redes sociais. A fala de Ygor José Saraiva, diretor clínico do Hospital Regional Francisco Dantas Maniçoba, ocorreu no último sábado, véspera da votação que elegeu o petista. Além do CRM, o vereador Josenildo Ceará (PT) protocolou um pedido para que o Ministério Público apure a conduta do profissional.

Agência seria usada por suspeitos: PF investiga grupo de 'coiotes' que enviou ao México brasileira estuprada na fronteira com os EUA

Vídeo: Superiate que afundou petroleiro será vendido por mais de US$ 51,5 milhões

"Votar em bandido tem que tomar no c*, né? Porque o Lula é bandido. Quem vota em bandido, bandido é. Quem não gostar fala comigo. Votar no Lula e chegar morrendo no hospital, vai morrer. Porque eu não vou ajudar", diz o médico em um trecho do áudio.

O CRM-MS informou que recebeu a denúncia sobre o áudio e e que "abrirá sindicância para apurar os fatos e tomar as devidas providências". Já o vereador Josenildo Ceará diz em seu ofício ao MP que, além de providências para o caso, acionou o hospital para que investigue a conduta do médico.

O GLOBO entrou em contato com a defesa de Saraiva, mas não obteve retorno. A reportagem também enviou um e-mail para Prefeitura de Nova Andradina, responsável pelo hospital, mas ele não foi respondido.