Delegação sul-coreana deseja se reunir com comissão do Norte ainda em março

Seul, 16 mar (EFE).- Responsáveis da Coreia do Sul vão propor a realização, no final de março, de conversas de alto nível com a Coreia do Norte para preparar os detalhes da histórica cúpula que manterão em abril o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

"Proporemos conversas de alto nível imediatamente", expressou o chefe de gabinete de Moon, Im Jong-seok, em entrevista coletiva após a primeira reunião do comitê sul-coreano que prepara a reunião.

Im apontou, além disso, que o encontro dos dois líderes coreanos seguramente irá durar apenas um dia.

As duas cúpulas entre as Coreias de 2000 e 2007 aconteceram em Pyongyang, e tiveram a duração de três dias em ambos casos, incluindo vários eventos conjuntos.

Dado que o encontro de abril será realizado na militarizada fronteira entre os dois países, considera-se muito difícil que seja possível organizar qualquer outro ato por temas de logística e segurança.

Além de chamar Pyongyang para realizar reuniões preparatórias neste mês, Im disse que Seul vai oferecer enviar à Coreia do Norte um grupo de artistas e de lutadores de Taekwondo para que realizem exibições no marco de intercâmbios propício pelos Jogos Olímpicos de Inverno que foram realizados no Sul.

O evento esportivo serviu para que as duas Coreias, tecnicamente ainda em guerra, enviassem emissários para o outro lado da fronteira, o que finalmente terminou com o anúncio de duas grandes cúpulas.

A primeira envolve em abril o líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e a segunda reunirá em maio Kim e o presidente dos EUA, Donald Trump; uma reunião histórica ao se tratar do primeiro encontro na história de líderes dos dois países.

O ministro norte-coreano de Relações Exteriores, Ri Yong-ho, está hoje em Estocolmo, onde deve manter com sua colega sueca, Margot Wallström, um encontro que aparentemente está destinado a preparar a cúpula entre Kim e Trump.

A Suécia ofereceu na semana passada ajuda para a concretização das conversas entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, e é, além disso, uma das possíveis sedes desta cúpula.

O país nórdico foi o canal de comunicação usado frequentemente pelos EUA e Pyongyang (que não mantêm oficialmente relações diplomáticas), já que sua embaixada nessa capital abriga a seção de interesses americanos em solo norte-coreano. EFE