OTAN apoia ataque dos EUA, França e Reino Unido contra regime sírio

Bruxelas, 14 abr (EFE).- O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, respaldou, neste sábado, o ataque dos Estados Unidos, Reino Unido e França às instalações de armas químicas na Síria, que "reduzirá a capacidade do regime" de Bashar al-Assad de atacar a população com este tipo de armas, disse.

"A OTAN condenou sistematicamente o uso contínuo de armas químicas por parte da Síria, como uma clara violação das normas e acordos internacionais", manifestou Stolenberg, em um comunicado publicado no site da Aliança Atlântica.

Ele ressaltou que o uso de armas químicas "é inaceitável" e seus responsáveis devem prestar contas por isso.

A organização militar considera que a utilização deste tipo de armas é uma ameaça à paz e a segurança internacional e que "é essencial proteger a Convenção sobre Armas Químicas", que exige "uma resposta coletiva e efetiva por parte da comunidade internacional", completou.

Os três países lançaram o ataque contra as "capacidades de armamento químico" de Bashar al-Assad e em resposta a um suposto ataque químico atribuído ao governo sírio.

O presidente americano, Donald Trump, explicou que a ofensiva teve como objetivo "estabelecer um forte elemento de dissuasão contra a produção, propagação e uso de armas químicas" por Assad.

A ação combinou ataques aéreos e mísseis projetados a partir de navios no Mediterrâneo, segundo informou o Pentágono. EFE