Cruzeiro é goleado pelo Santos em jogo que ajuda Fluminense e Botafogo

A tarefa para o Cruzeiro era complicada, mas deixar a Vila Belmiro com um 4 a 1 sofrido diante do Santos foi um golpe em tanto em um time que tenta respirar nessa reta final do Brasileirão. A zona de rebaixamento tem sido uma areia movediça que atrai a equipe de Abel Braga. Por mais que às vezes se consiga colocar a cabeça para fora e respirar, o risco de voltar a se afundar no G4 é iminente.

Nesta 34ª rodada da Série A, a aflição cruzeirense vai se estender até segunda-feira, quando o Fluminense enfrenta o CSA, no Rei Pelé, em Alagoas. Basta um empate para o Flu, com um ponto a menos e duas vitórias a mais, trocar de posições com o Cruzeiro.

A derrota para o Santos foi perfeita para os planos do tricolor e também de quem está na concorrência mais direta com os cruzeirenses, como Ceará e Botafogo.

E pensar que o time de Abel deu a impressão que poderia buscar um ponto fora de casa, já que abriu o placar. Mas o time desandou, tomou a virada e saiu de campo com um placar elástico. Os gols do Santos foram de Eduardo Sasha, Soteldo, Marinho e Diego Pituca.

- Nossa atuação foi muito abaixo. Eu sou o responsável. Eu escalei. Fizemos 1 a 0, o Santos atacava com muitos jogadores, nos dava contra-ataque. Mas não analiso atuação individual de ninguém. A responsabilidade é minha - disse Abel.

O Cruzeiro tem jogos complicados pela frente: CSA (casa), Vasco (fora), Grêmio (fora) e Palmeiras (casa).

- Independentemente dos adversários que vamos enfrentar, vamos para quatro guerras - completou o técnico.