Cruzeiro de luxo com 800 casos de Covid-19 é obrigado a atracar na Austrália

Um navio de cruzeiro que transportava 4,6 mil pessoas, entre tripulantes e passageiros, foi obrigado a atracar no porto de Sydney, na Austrália, após cerca de 800 diagnósticos positivos para a Covid-19, neste sábado. O Majestic Princess tinha saído da Nova Zelândia.

Covid-19: Brasil registra 20,9 mil casos nas últimas 24h, maior número desde o fim de agosto

Coronavírus: Casos de Covid-19 em farmácias sobem 465% em um mês no Brasil

Os casos começaram a ser detectados na metade da viagem que deveria durar 12 dias. Todos os casos eram assintomáticos ou levemente sintomáticos, de acordo com a Princess Cruises, operadora da linha de cruzeiros.

A empresa também informou, em comunicado, que todos os passageiros que testaram positivo vão desembarcar separadamente e não usarão transporte público.

De acordo com a rede de televisão "ABC", parte dos passageiros desembarcaram do navio neste sábado após testarem negativo para o vírus.

Veja fotos: cientistas mostram como os humanos poderão parecer no ano 3000, graças à dependência da tecnologia

Alerta: vendas de Zolpidem explodem no Brasil, causando aumento de casos de alucinações e dependência

A presidente da operadora de cruzeiros Carnival Australia, Marguerite Fitzgerald, disse à mídia australiana que os infectados estão isolados em seus quartos.

— Refletindo o aumento nas transmissões da comunidade, também vimos mais passageiros testarem positivo para COVID-19 na viagem atual do Majestic Princess. Isso é resultado de testes em massa de nossos 3.300 passageiros — disse Marguerite, à "ABC".

A NSW Health (agência de saúde pública da Austrália) disse em comunicado que todas as pessoas com Covid-19 a bordo do cruzeiro estão em isolamento e sendo cuidadas pela equipe médica da empresa.

"A avaliação da NSW Health é que o nível de risco Covid-19 para o Majestic Princess é agora o Nível 3, o que indica um alto nível de transmissão", afirmou o comunicado.