Cuba aceita voos de deportação dos EUA em meio à alta no movimento de fronteira

Imigrantes cubanos expulsos dos EUA são enviados de volta ao México

Por Ted Hesson e Matt Spetalnick

WASHINGTON (Reuters) - Cuba concordou pela primeira vez desde a pandemia em aceitar voos de deportação dos Estados Unidos que transportam cubanos capturados na fronteira EUA-México, disseram três fontes norte-americanas à Reuters, dando às autoridades dos EUA uma ferramenta nova, mas limitada, para deter números recordes de cubanos cruzando a fronteira.

O Serviço de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) tem cerca de uma dúzia de cubanos sob custódia que não passaram em uma triagem inicial de asilo na fronteira, disseram as autoridades, pedindo anonimato para discutir a situação diplomática. A agência dos EUA está esperando até que tenha deportados cubanos suficientes para encher um avião antes de enviar um para Havana.

Uma terceira fonte familiarizada com o assunto disse que não há um novo acordo formal para voos regulares de deportação, mas que Cuba concordou em aceitar grupos ocasionais de deportados.

As deportações regulares de cubanos foram interrompidas durante a pandemia de Covid-19, embora os Estados Unidos continuem deportando um pequeno número de cubanos por meio de companhias aéreas comerciais, disse uma outra autoridade dos EUA à Reuters.

O Departamento de Estado dos EUA, a Casa Branca e o ICE não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.