Cuba alega que Facebook apoia movimento dissidente e ameaça processo

·1 min de leitura

Por Dave Sherwood

HAVANA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodriguez, ameaçou nesta quarta-feira abrir um processo contra o Facebook, alegando que a plataforma de mídia social ajudou o movimento dissidente no país comunista mudando algoritmos e a localização geográfica de postagens antes de protestos planejados para 15 de novembro.

Os dissidentes pediram permissão em setembro para conduzir uma "Marcha Cívica pela Mudança" em meados de novembro, após protestos generalizados na ilha em julho. As autoridades cubanas negaram o pedido no mês passado, alegando que os manifestantes buscavam a derrubada violenta do governo.

Os manifestantes dizem que planejam prosseguir com a marcha de qualquer maneira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos