Cuba anuncia que Vietnã aprovou uso de sua vacina Abdala

·2 minuto de leitura
Uma trabalhadora da saúde segura um frasco vazio da vacina candidata cubana Abdala contra COVID-19, durante uma campanha de vacinação em massa no complexo Andres Blanco de Fuerte Tiuna em Caracas em 30 de junho de 2021 (AFP/Yuri CORTEZ)

O Vietnã, que enfrenta um grave surto do novo coronavírus, foi o primeiro país estrangeiro a aprovar o uso emergencial da vacina Abdala, desenvolvida por Cuba, neste sábado (18), coincidindo com o início de uma visita oficial à ilha de seu presidente, anunciou a estatal BioCubaFarma.

“Com base em uma avaliação rigorosa da documentação da vacina Abdala, a Autoridade de Controle de Medicamentos do Vietnã emitiu a Autorização de Uso Emergencial do imunizante cubano”, tuitou o grupo estatal de instituições científicas BioCubaFarma.

Além da Abdala, duas outras vacinas contra a covid-19 foram desenvolvidas por Cuba: Soberana 02, cujo uso emergencial foi aprovado no Irã em julho, e Soberana Plus.

O anúncio coincidiu com a chegada neste sábado à capital cubana do presidente vietnamita, Nguyen Xuan Phuc, para uma visita oficial de três dias, durante a qual ele se encontrará com o colega Miguel Díaz-Canel e visitará o Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB) de Havana, desenvolvedor da Abdala, segundo a mídia local.

Em conversa telefônica no dia 23 de agosto, Nguyen e Díaz-Canel expressaram sua "vontade de continuar fortalecendo a cooperação bilateral em todas as esferas", segundo a imprensa oficial. Um dia depois, a imprensa vietnamita destacou que Cuba enviará àquele país um "grande número" de doses da vacina Abdala e que também irá transferir a tecnologia necessária para produzi-la.

Segundo cientistas cubanos, tanto a Abdala quanto a Soberana 02 apresentam mais de 90% de eficácia contra o aparecimento dos sintomas da doença.

Cuba iniciou na quinta-feira um intercâmbio com especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o reconhecimento da Abdala e Soberana 02, processo que facilitará a comercialização dos dois imunizantes em outros países, segundo o BioCubaFarma. Mesmo sem o reconhecimento da OMS, alguns países, como Argentina, Venezuela e México, mostraram interesse nas vacinas cubanas.

Muito afetado pela lentidão de sua campanha de vacinação, o Vietnã, reconhecido em 2020 como um país exemplar na luta contra a pandemia, graças a uma rígida política de quarentena e monitoramento das pessoas infectadas, enfrenta atualmente um grave surto da doença.

rd/ka/yo/gf/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos