Cuba consegue alívio da dívida e novos financiamentos da China

Por Marc Frank

HAVANA (Reuters) - A China concordou em reestruturar a dívida cubana e fornecer novos créditos comerciais e de investimento à nação caribenha após uma reunião em Pequim entre os líderes dos dois países comunistas.

O ministro da Economia de Cuba, Alejandro Gil, disse que a China também doou 100 milhões de dólares para ajudar o país a lidar com a escassez de produtos básicos e a crise de energia agravada pelo furacão Ian, que dizimou o oeste da província de Piñar del Rio no final de setembro.

Gil falou em entrevista à mídia oficial que viajava com o presidente Miguel Díaz-Canel. Ele voltou para casa no fim de semana após uma turnê por Argélia, Rússia, Turquia e China.

O comércio e o investimento chineses desaceleraram nos últimos anos devido ao fracasso de Cuba em cumprir os pagamentos da dívida reestruturada, de acordo com analistas e diplomatas, uma situação agravada pelas sanções mais rígidas dos EUA, pela pandemia e por políticas econômicas domésticas ineficientes.

“Vamos encontrar fórmulas mutuamente aceitáveis ​​para o ordenamento e reestruturação das dívidas”, disse Gil.

Os analistas estimam a dívida em bilhões de dólares, embora não haja números oficiais disponíveis.