Cuba doa à Síria remessa de vacinas contra Covid

·1 min de leitura
Remessa de vacinas destinadas à Síria no aeroporto internacional de Havana (AFP/Yamil LAGE)

O governo cubano enviou nesta sexta-feira à Síria uma remessa de suas vacinas contra a Covid em forma de doação, anunciaram autoridades de ambos os países.

“Agradecimento, reconhecimento e gratidão, em nome da República Árabe Síria, por sua iniciativa amável de enviar as vacinas em forma de doações ao nosso país”, disse o embaixador da Síria em Cuba, Idris Mayya.

O Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), empresa que produz a vacina Abdala, anunciou no Twitter a doação de 120.000 doses. Os pacotes do carregamento também estavam etiquetados com a marca das vacinas Soberana 02 e Soberana plus.

A ministra interina de Comércio Exterior, Teresita González, citou a "distribuição injusta e desigual" de vacinas durante a pandemia, que "provocou uma grande incerteza" no mundo. COVID-19, que ela disse ter "causado grande incerteza" no mundo.

“Cuba e Síria são povos agredidos e hostilizados pelo imperialismo, mas não cedem na defesa de sua soberania e do seu direito de existirem como nações livres e independentes”, assinalou a ministra.

A ilha conta com três vacinas de produção e desenvolvimento próprios: Abdala, Soberana 02 e Soberana Plus, cujos esquemas de vacinação são de três doses. Nenhuma delas é reconhecida pela OMS.

Cuba também enviou seus imunizantes à Nicarágua e Venezuela. Com esse último país, assinou um contrato para fornecer 12 milhões de doses da Abdala.

Em setembro, Havana fechou a venda de 10 milhões de doses da mesma vacina para o Vietnã, enquanto o Irã produz a Soberana 02 com a fórmula cubana. No mês passado, o México autorizou o uso emergencial da Abdala.

lp/rd/gm/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos