Cuba espera completar em agosto todas as vacinas anticovid que precisa

·1 minuto de leitura
Técnicos trabalham na produção do antígeno da vacina Abdala, no Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia de Havana

Cuba espera contar "o mais tardar" em agosto com as milhões de doses da vacina anticovid que precisa para imunizar "toda" a sua população, e depois continuará fabricando-as para ajudar os "países amigos", anunciou nesta quarta-feira (17) o cientista responsável.

"O mais tardar no mês de agosto teremos fabricado as doses necessárias para imunizar toda a nossa população (11,2 milhões de habitantes), e depois continuaremos produzindo-as, para fornecê-las aos outros países amigos", disse o presidente do grupo estatal BioCubaFarma, Eduardo Martínez, citado pelo jornal oficial Granma.

Martínez destacou que a ilha também colabora "com um grupo de nações (...) para valorizar a possibilidade de realizar estudos clínicos de" suas vacinas candidatas contra a covid-19, "estabelecer alianças produtivas e buscar vacinas universais contra os coronavírus".

Na semana passada, Cuba enviou para o Irã 100.000 doses da Soberana 2, seu projeto de vacina anticovid mais avançado, para testar a eficácia do antígeno, e o país também estabeleceu contatos com México e com o Vietnã sobre o assunto.

Autoridades científicas da ilha afirmam que Cuba tem capacidade para fabricar em 2021 cerca de 100 milhões de doses da Soberana 2 e que a campanha de vacinação começará no primeiro semestre.

rd/ka/ll/aa