Cuba e EUA assinam primeiro acordo sobre meio ambiente após reaproximação

As bandeiras de Estados Unidos e Cuba são vistas em Miami, no dia 20 de dezembro de 2014

Cuba e Estados Unidos assinaram nesta quarta-feira um acordo para a conservação e gestão de áreas marinhas protegidas, que é o primeiro acordo bilateral sobre meio ambiente após os países retomarem suas relações diplomáticas em julho.

O acordo "dá uma oportunidade inédita aos cientistas e aos administradores de colaborar sobre nossas áreas marinhas protegidas", disse a administradora da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, sigla em inglês), Kathryn Sullivan, após assiná-lo com o vice-ministro cubano de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Fernando González.

"Trabalhando juntos e aprendendo uns com os outros podemos desenvolver as melhores formas de proteger esses ambientes marinhos (...) para as gerações futuras", disse Sullivan, que é também a primeira astronauta norte-americana.

González ressaltou que o acordo é "o primeiro documento sobre as questões ambientais" assinado pelos "governos de Cuba e Estados Unidos" após o restabelecimento das relações diplomáticas em julho, depois de meio século de ruptura e confronto político.

O ministério das Relações Exteriores cubano anunciou na semana passada que Havana e Washington poderiam assinar um acordo de "curto prazo" sobre o restabelecimento de voos regulares e correio direto entre os dois países, protegendo o meio ambiente e combatendo o tráfico de drogas.

O acordo foi assinado no âmbito de uma conferência sobre ciência marinha e meio ambiente em que cientistas americanos e cubanos apresentaram na terça-feira os resultados de uma primeira investigação conjunta sobre o comportamento dos tubarões, seus ecossistemas e rotas migratórias.