Cuba exigirá teste PCR de viajantes após recorde de casos de covid-19

·1 minuto de leitura
Mulher caminha de máscara pelas ruas de Havana em 14 de setembro de 2020

Cuba vai passar a exigir de todos os viajantes que chegam a seu território um teste PCR negativo para covid-19, depois de registrar um número recorde de 217 casos na quinta-feira, anunciou a imprensa local nesta sexta-feira (25).

"A partir de 10 de janeiro, todos os viajantes que chegarem ao país deverão portar um PCR realizado com no máximo 72 horas de antecedência, por laboratórios certificados nos países de origem", disse o jornal oficial Granma.

Segundo o jornal do Partido Comunista, esta decisão faz parte de um conjunto de ações adotadas pelo governo cubano "para incrementar as medidas de contenção contra a covid-19, com casos gerados principalmente por nacionais que vieram do exterior".

O chefe de Epidemiologia do Ministério de Saúde Pública de Cuba, Francisco Durán, explicou nesta sexta que a nova medida não anula o protocolo que estabelece que cada viajante deve se submeter a um teste de diagnóstico ao chegar à ilha e limitar seus deslocamentos até obter o resultado.

Durán destacou que das 1.311 infecções que Cuba notificou nos últimos 15 dias, 838 foram importadas, principalmente dos Estados Unidos, Rússia, Índia, Venezuela e França. "Em vários dias tivemos mais casos importados do que autóctones", apontou.

Com 11,2 milhões de habitantes, Cuba acumula 10.900 casos do novo coronavírus, com 140 mortes, situação muito mais favorável do que a de alguns de seus vizinhos na região.

rd/yow/ic