Cuba inicia testes de estágio avançado de candidata a vacina contra Covid-19

·1 minuto de leitura
Pandemia de Covid-19

HAVANA (Reuters) - Cuba iniciou testes de estágio avançado de sua vacina contra Covid-19 experimental mais avançada, aproximando-se mais de uma possível inoculação doméstica que poderia ajudar a ilha caribenha a conter infecções e amenizar sua crise econômica.

Nesta semana, o país começou a recrutar cerca de 44 mil voluntários de idades entre 19 e 80 anos em Havana para seu teste da vacina de duas doses aleatório e controlado com placebo, no qual alguns receberão uma terceira dose de reforço de outra candidata a vacina cubana.

Se a vacina tiver sucesso, Cuba diz que inoculará toda a sua população de 11 milhões de habitantes com o que seria a primeira vacina contra Covid-19 desenvolvida e produzida na América Latina.

Cuba disse que também exportará a vacina e a oferecerá a turistas --o país tem um histórico antigo de exportação de vacinas e turismo médico.

"Eu me sinto muito feliz. Espero que isto tenha um bom resultado, não só em mim, mas no mundo todo", disse a pensionista Maria del Carmen Rodríguez, de 83 anos, à Reuters depois de receber sua primeira dose em uma clínica da Havana Velha.

Embora muitos países da América Latina e do Caribe estejam competindo com nações mais ricas para ter acesso limitado a suprimentos de vacinas produzidos no exterior, Cuba escolheu apostar em sua própria vacina, apesar de estar enfrentando seu pior surto desde o início da pandemia.

No final do ano passado, Cuba abriu suas fronteiras e amenizou as restrições de lockdown, e o número diário de casos quintuplicou ao longo dos últimos dois meses.

(Da Reuters TV, Nelson Acosta em Havana e Sarah Marsh em Chester, Reino Unido)