Cuca fala em 'realismo', mas diz que fará o 'máximo' para o Santos vencer a Libertadores

Fábio Lázaro
·2 minuto de leitura


Após a vitória, de virada, por 2 a 1 do Santos diante o Defensa y Justicia (ARG), nesta terça-feira (20), pela sexta e última rodada do grupo G da Libertadores, o técnico Cuca estava feliz, orgulhoso, mas realista.

Com o resultado diante dos argentinos, o Alvinegro se tornou o melhor time da fase de grupos da competição sul-americana, aguardando agora a partida entre Palmeiras e Tigre, pelo grupo B, nesta quarta-feira (21), no Allianz Parque, para saber se manterá a marca. Apenas o Alviverde pode passar o Peixe, e caso isso aconteça o Santos ainda assim terminará as chaves como segundo melhor time, dando o direito de decidir em casa todos os jogos do mata-mata, salvo contra os palmeirenses.

– Eu sou muito realista, mas tô muito feliz com a campanha que a gente está fazendo. São seis jogos, cinco vitórias e um empate. Jogamos contra o campeão equatoriano, o campeão paraguaio e esse time argentino que é muito bom, muito bem treinado, e ganhamos as duas. Ganhamos também do Delfin, que acabou se classificando, ganhou no Paraguai, do Olimpia. A gente tá indo passo a passo – disse o treinador santista em entrevista coletiva virtual após a partida contra os argentinos.

– Não sei o que vai acontecer amanhã, no jogo do Palmeiras. Podemos ser o primeiro, e se o Palmeiras vencer seremos o segundo melhor de todos os times, que é uma coisa a se comemorar. Aí vem o mata-mata, que de tudo o que você fez, você tem a vantagem de ter o segundo jogo em casa. Eu penso que quanto mais forte você for, maior é a sua chance de ganhar – acrescentou.

Cuca sabe que ter um elenco reduzido dificulta a competitividade para a sequência dos jogos, mas garante que ele buscará extrair tudo o que conseguir dos seus jogadores na sequência da competição para, quem sabe, chegar a ponto de brigar pelo título.

– Eu tô muito contente com esses meninos aqui, só que nós temos um deficit grande em número de jogadores. Nós estamos tendo que improvisar desde o início de jogo, como já aconteceram outras vezes, e estamos impossibilitado de fortalecer o elenco por causa dos bans que a gente tem. O que eu tenho feito é não olhar para outra coisa que seja o meu interior aqui, que eu tenho de jogadores e extrair o máximo deles. Se esse máximo for o suficiente para ganhar, vamos fazer o máximo – pontuou o professor.

O Santos agora aguarda o sorteio para as oitavas de final da Liberta, que acontecerá nesta sexta-feira (23). Enquanto isso, o elenco já terá que “trocar a chave”, já que neste domingo (25), o Alvinegro visita o Fluminense, no estádio do Maracanã, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.