Culto nos EUA acaba com 40 infectados por Covid-19, mas pastor diz não se arrepender: "foi tão bom"

·2 minuto de leitura
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Mais de 40 pessoas acabaram infectadas pelo novo coronavírus depois de comparecerem a um culto em uma igreja batista no Alabama, Estados Unidos. Um dos contaminados é o pastor Darly Ross, que alegou que apenas dois casos registrados a partir da celebração religiosa eram graves, tendo sido essas pessoas hospitalizadas.

O uso de máscaras dentro da igreja não era obrigatório e mesmo com as contaminações o pastor garantiu, em entrevista a um jornal local, que faria tudo de novo.

Leia também

Ross explicou que o evento como um todo tem duração de uma semana e costuma receber convidados. O objetivo é aproximar os membros da igreja através de vários cultos e celebrações. Houve então um convidado que não relatou sintomas e participou normalmente do evento.

"Tivemos o culto na quarta-feira à noite e no dia seguinte recebi um telefonema avisando que um de nossos membros da igreja testou positivo. Então decidimos encerrar as celebrações, mas na sexta-feira já tinha membros da igreja doentes em todos os lugares", afirmou ao veículo norte-americano.

O pastor apontou um dos fieis como o mais provável por ser a origem da contaminação, já que o homem teve três colegas de trabalho diagnosticados. O "suspeito” foi testado na empresa e o resultado deu positivo.

"Sabíamos no que estávamos entrando, nós conhecíamos as possibilidades. Mas, meu Deus, cara, por três dias tivemos um dos avivamentos dos velhos tempos. Foi inacreditável. E todo mundo que você perguntar, se você falar com os membros da nossa igreja agora, eles dirão que faremos novamente. Foi tão bom" declarou Ross.

As declarações do pastor defendendo as celebrações repercutiram muito mal nos moradores da região. Nas redes sociais, houve uma moradora que cobrou até uma eventual responsabilização do pastor em caso de algum óbito motivado pela Covid-19 entre os participantes do culto.

Além de não tornar obrigatório o uso de máscaras dentro da igreja, o pastor defendeu que quem estivesse confortável poderia apertar as mãos de outras pessoas.

De acordo com o levantamento da universidade norte-americana Johns Hopkins, os EUA registram mais de 4 milhões e 290 mil casos confirmados. Os norte-americanos ultrapassaram recentemente a marca dos 148 mil óbitos pela Covid-19.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos