Cúpula das Américas: Bolsonaro citou dados ambientais errados em discurso

Presidente Jair Bolsonaro (PL) discursou na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em 10 de junho de 2022 (Foto: AFP)
Presidente Jair Bolsonaro (PL) discursou na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em 10 de junho de 2022 (Foto: AFP)
  • Hoje (10), Jair Bolsonaro discursou na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas

  • Na fala, o presidente tratou sobre preservação ambiental e desmatamento na Amazônia

  • Informações destacadas por ele, no entanto, estão erradas

Nesta sexta-feira (10), Jair Bolsonaro (PL) esteve presente na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Bolsonaro discursou no evento e tratou sobre questões ambientais, como o combate ao desmatamento e uso de energias renováveis, mas citou dados errados. Confira a análise da reportagem do Yahoo! Notícias sobre suas declarações:

Presidente Jair Bolsonaro (PL) e o primeiro ministro do Canadá, Justin Trudeau (à direita) na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em 10 de junho de 2022 (Foto: AFP via Getty Images / Patrick T. Fallon)
Presidente Jair Bolsonaro (PL) e o primeiro ministro do Canadá, Justin Trudeau (à direita) na segunda Sessão Plenária da IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles, nos Estados Unidos, em 10 de junho de 2022 (Foto: AFP via Getty Images / Patrick T. Fallon)

Preservação ambiental

"Somos um dos países que mais preservam o meio ambiente"

Presidente Jair Bolsonaro (PL), em discurso na Cúpula das Américas em 10 de junho de 2022

Segundo o Índice de Desempenho Ambiental (EPI) de 2022, realizado pelas Universidades de Yale e Columbia, o Brasil se encontra na posição 133 de 180 do ranking de ações para mitigação do aquecimento global. A categoria leva em conta, sobretudo, questões relacionadas à emissão de gás carbônico.

Na classificação que analisa a proteção da biodiversidade, o Brasil ficou em 35º de 180 países.

A posição brasileira geral no ranking foi a 81ª.Os países com melhor desempenho foram Dinamarca, Reino Unido e Finlândia.

Combate ao desmatamento na Amazônia

"Para proteção das florestas, o Governo Federal reforçou o combate ao desmatamento"

Presidente Jair Bolsonaro (PL), em discurso na Cúpula das Américas em 10 de junho de 2022

O desmatamento na Amazônia no último ano foi o pior desde 2006, de acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), apresentando um aumento de 21,97% em relação ao ano anterior.

Foram 13.235 km2 de área desmatada em 2021, o maior identificado desde 2006, quando o desmatamento na Amazônia Legal chegou a 14.286 km2.

O Relatório Anual do Desmatamento no Brasil de 2020, apontou que o Governo Federal agiu em somente 5% dos alertas de desmatamento, embora 98% tenham sido ilegais.

De acordo com a Análise das Ações do Governo Federal em Relação aos Alertas de Desmatamento do MapBiomas – rede colaborativa, formada por ONGs, universidades e startups de tecnologia – somente 2% dos eventos informados pelos alertas da rede ao Ibama foram autuados.