Cursos oferecem atrativos para o ensino de idiomas em Niterói

·2 min de leitura

NITERÓI — Com a volta ao normal pós-vacinação, cresce a vontade de viajar, para turismo, intercâmbio ou até trabalhar em outro país. Antes de pensar no destino, é preciso ver como anda a própria fluência em idiomas. Investir no aprendizado de línguas é o que recomendam dez entre dez cursos, para adultos e crianças. Se alguns cursos vão para dentro das escolas, fechando parcerias, outros se cercam de atrativos para receber os alunos.

Na Aliança Francesa Niterói, quem está concluindo um nível fica isento da taxa de inscrição para as provas Delf (Diplôme d’Études en Langue Française/Diploma de Estudos em Língua Francesa) e Dalf (Diplôme Approfondi de Langue Française/Diploma Aprofundado de Língua Francesa), que são os diplomas oficiais do Ministério da Educação da França para certificar as competências em francês dos candidatos estrangeiros. Outra novidade que incentiva o intercâmbio e o trabalho em outro país são aulas híbridas, a partir do ano que vem na Aliança Francesa.

— Os alunos poderão assistir a aulas presenciais e também à distância. E estudar onde estiverem, de forma dinâmica e interagindo com colegas de turma — diz Eric Lahille, diretor do curso de francês.

No Instituto Cultural Germânico, o diretor Ricardo Freitas conta que foi feita uma parceria com a empresa BEX Intercâmbio Cultural. No curso de duas semanas de alemão, por exemplo, oferecido pelo Deutsch-Institut, o aluno pode fazer 20 horas por semana com aulas regulares de alemão ou com foco no mercado de trabalho. Para o intercâmbio, ele pode escolher entre cidades como Berlim, Munique, Hamburgo e Frankfurt.

— Os alunos já têm oportunidade de estudar alemão e planejar uma viagem para praticar a língua no exterior em cursos de curta duração ou mesmo participar de um programa mais amplo, de estudo e trabalho — explica.

Formação nas escolas

O interesse pelo ensino do idioma faz crescer também a grade de aprendizado de línguas dentro do horário curricular. Na Acanto Creche e Escola e no Colégio e Curso ZeroHum, a partir de um convênio com o Brasas, a carga horária foi estendida em quatro dias da semana e também há opção de contraturno. Desta forma, os alunos já estão no local da aula de inglês. Alexander Vieira, diretor nacional do Brasas, diz que a formação em inglês, antes restrita às escolas maiores, cresce cada vez mais em colégios de bairro, com menor porte:

— A internacionalização do ensino e a do mundo do trabalho, dois fenômenos de ordem global, provavelmente estão trazendo impactos para a configuração local dos mercados de escolas e projetos bilíngues.

O Ibeu lançou o Ibeu For Schools, com portfólio customizado e flexível. A ideia é atender às necessidades de cada instituição, respeitando a proposta pedagógica. O colégio opta pelo modelo e pela carga horária desejados: por exemplo, de três a cinco vezes por semana, incluindo atividades extracurriculares. O modelo é oferecido na escola Marly Cury.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos