Cuspe, queerbaiting e brigas: as polêmicas de "Não Se Preocupe, Querida"

Harry Styles e Florence Pugh no filme
Harry Styles e Florence Pugh no filme "Não Se Preocupe, Querida". (Foto: Divulgação/Warner Bros.)

"Não se Preocupa, Querida" fez sua grande estreia no Festival Internacional de Cinema de Veneza e reacendeu as polêmicas envolvendo o filme, que conta com Harry Styles e Florence Pugh como casal protagonista.

Na última segunda-feira (6), o cantor britânico se tornou um dos assuntos mais comentados das redes sociais após um vídeo mostrar o suposto momento em que ele teria cuspido em Chris Pine ("Mulher-Maravilha"). O momento foi gravado quando todo o elenco estava reunido na Sala Grande para assistir ao projeto finalizado. Confira:

Nesta terça-feira (6) os representantes de Chris Pine enviaram uma nota de esclarecimento ao site “The Hollywood Reporter” negando a situação. “Esta é uma história ridícula, uma fabricação completa e o resultado de uma estranha ilusão online que claramente engana e permite especulações bobas”, diz o texto. “Só para deixar claro, Harry Styles NÃO cuspiu em Chris Pine. Não há nada além de respeito entre esses dois homens e qualquer sugestão de outra forma é uma tentativa descarada de criar um drama que simplesmente não existe”.

Mas essa não é a primeira manchete envolvendo conflitos entre o elenco do novo filme de Olivia Wilde ("Fora de Série"). Enquanto o longa recebeu apenas 41% de aprovação dos críticos de cinema, rumores de traição, desconfortos, discordâncias criativas e até queerbaiting roubam o foco da história.

Romance entre Olivia e Harry

A grande polêmica começou logo quando as gravações de "Não Se Preocupe, Querida" iniciaram. Durante as filmagens, Wilde foi fotografada andando de mãos dadas com Harry e recebeu uma chuva de comentários de ódio, especialmente focados na diferença de idade entre os dois - Harry tem 28 anos e Olivia, 38.

Ambos nunca assumiram o namoro publicamente, mas quando as filmagens do longa começaram, a diretora estava noiva do ator e roteirista Jason Sudeikis, com quem tem dois filhos. Eles só anunciaram a separação em novembro de 2020, mas segundo a revista “People”, o fim do relacionamento teria acontecido no início daquele ano.

Acusação de queerbaiting

Em entrevista à "Rolling Stones", Harry se pronunciou sobre ter sido acusado de queerbaiting, ou seja, de se aproveitar da comunidade LGBTQIA+ apenas para se promover e sem discutir abertamente sua sexualidade. Depois de contracenar com Pugh, ele está prestes a interpretar um policial que se apaixona por um homem na época em que ser gay era ilegal no Reino Unido em "My Policeman".

Harry afirmou que nunca esteve publicamente em um relacionamento para as pessoas acusá-lo de só se envolver com mulheres. “Às vezes as pessoas dizem: 'Você só esteve publicamente com mulheres', e eu não acho que tenha estado com qualquer um. Se alguém tirar uma foto sua com alguém, isso não significa que você está escolhendo ter um relacionamento público ou algo assim”, disse.

Saída de Shia Labeouf do elenco

Inicialmente, o ator Shia LaBeouf foi anunciado como par romântico de Florence Pugh na história. Oficialmente, ele teria deixado o projeto por “conflitos de agenda”, mas a "Variety" noticiou que o ator havia sido demitido por “mau comportamento”.

Olivia Wilde manteve-se em silêncio sobre o caso durante todo o projeto, até que em agosto confirmou ao site que realmente demitiu o ator após a cantora FKA Twigs acusá-lo de agressão, traição e até de atirar em cães de rua com uma arma.

"Desejo para ele saúde e evolução, porque acredito em justiça restaurativa. Mas, para o nosso filme, o que realmente precisávamos era de uma energia incrivelmente solidária. Particularmente em um filme como esse, em que eu sabia que pediria para Florence [Pugh] se colocar em situações muito vulneráveis, e minha prioridade era fazê-la se sentir segura e apoiada", explicou.

Poucos dias depois, LaBeouf enviou ao site norte-americanos prints, vídeo e até uma cópia de um e-mail endereçado a Wilde para ressaltar que não foi demitido. "Eu e você sabemos as razões da minha saída. Deixei seu filme porque eu e seus atores não tínhamos tempo de ensaiar", diz o texto. "Minha demissão nunca aconteceu, Olivia. E, embora eu entenda que é atrativo empurrar essa história dado o cenário social, isso não é verdade. Então te peço humildemente, como alguém que está interessado em fazer a coisa certa, que você corrija essa narrativa da melhor maneira que puder. Espero que nada dessa negatividade te afete, e que seu filme seja bem-sucedido da maneira como você quer".

No vídeo recebido pela "Variety", Wilde e LaBeouf ainda teriam se encontrado pessoalmente para tentar solucionar a situação, mas acabou que no dia seguinte, o ator oficializou sua saída do filme. Em seguida, a cineasta teria mandado um vídeo para LaBeouf, afirmando que não estaria pronta para desistir ainda e declarado que a situação deveria servir de "alerta para a Srta. Flo": "Se vocês conseguirem entrar em um acordo — respeito seu ponto de vista e respeito o dela —, o que você acha? Ainda tem esperança?".

Conflitos entre Florence Pugh e Olivia Wilde

Quando foi anunciada como protagonista de “Não Se Preocupe, Querida”, a atriz de “Viúva Negra” comemorou com empolgação seu envolvimento no projeto de Olivia Wilde. Dois anos depois, a postura mudou completamente.

Muitos apontaram que o conflito entre as duas teria acontecido por Pugh ter recebido menos que Harry para estrelar o filme, mas Wilde negou o rumor. No entanto, Florence não escondeu sua frustração após as cenas de sexo que apareceram no trailer terem sido as mais repercutidas na mídia.

"Quando é reduzido às suas cenas de sexo ou a assistir algum homem famoso fazendo sexo oral em alguém, não é por isso que fazemos [cinema]. Não é por isso que estou nessa indústria. Obviamente, quando se contrata o pop star mais famoso do mundo, você terá conversas sobre isso”, declarou em entrevista à "Harper's Bazaar". “Mas não será sobre isso que vou discutir, porque [esse filme] é maior e melhor do que isso. E as pessoas que o fizeram são maiores e melhores que isso".

Pouco depois, Olivia afirmou que as cenas íntimas do casal são quase o diferencial do seu filme por retratar o prazer feminino no cinema. "É sobre o imediatismo e a paixão extrema de um pelo outro. A natureza impraticável do sexo deles fala sobre a ferocidade do desejo que eles têm”, justificou em entrevista à “Variety”. “Acho que é integral à própria história e a como o público deve se conectar com eles. Minhas primeiras conversas com o elenco foram sobre como o público tem que comprar essa fantasia".

Desde então, Pugh evitou comentar sobre Wilde, até para negar os rumores de conflitos criativos. Ela também se ausentou da coletiva de imprensa do Festival de Veneza e Wilde se recusou a falar sobre Florence, alegando que a atriz estava gravando "Duna 2" em Budapeste. "Não quero contribuir para o infindável ruído provocado por tabloides de fofocas", disse ela. "Florence é uma força (da natureza). Somos muito gratos a ela e ao diretor [de “Duna 2”] Denis Villeneuve pela ajuda, e celebraremos o trabalho dela esta noite. Sei, como diretora, o quanto é perturbador não poder contar com o seu ator, mesmo que por um dia. Tenho muita honra de tê-la como protagonista. Ela é incrível".

No mesmo dia, Florence desembarcou na cidade italiana para participar do tapete vermelho e da exibição na Sala Grande. Ela foi questionada se acredita que "Não Se Preocupe, Querida" é uma história inspiradora e disparou: “É muito inspirador ver uma mulher reagindo e dizendo não, questionando tudo. É muito empolgante ver isso na frente e atrás das câmeras. Me sinto muito sortuda de poder fazer isso tantas vezes, especialmente nesse filme”.

Nas redes sociais, o comportamento do elenco no festival continua sendo analisado e qualquer detalhe é o suficiente para encabeçar discussões sobre mais supostos conflitos. Até mesmo uma postagem da estilista de Florence viralizou no Twitter após ela publicar uma foto da artista pronta para o evento com a legenda “Srta. Flo”, do mesmo jeito que Wilde chamou Pugh no vídeo de Shia LaBeouf.