Custo da cesta básica no Rio foi de R$ 505 em fevereiro, a segunda mais cara do país

Tomate teve a segunda maior queda de preço em um mês

A média do preço da cesta básica no município do Rio de Janeiro chegou a R$ 505,55 em fevereiro deste ano, após uma leve redução, de 0,31%, na comparação com o mês anterior. Essa é a segunda queda consecutiva que o custo do pacote sofre. Considerando o período de um ano, porém, a elevação do preço ainda é grande: 8,84%.

Com isso, o município continua com a segunda cesta mais cara do país, entre as 17 cidades pesquisadas, atrás apenas de São Paulo (R$ 519,76). Os dados são da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O morador do município do Rio precisou trabalhar 106 horas e 26 minutos para adquirir a cesta básica em fevereiro, considerando a remuneração de um salário mínimo nacional, de R$ 1.045,00. Este trabalhador, da mesma forma, comprometeu 52,58% de sua remuneração líquida (após o desconto da contribuição para a Previdência Social) para adquirir esses produtos.

Sobe e desce dos alimentos

Entre janeiro e fevereiro de 2020, nove dos treze produtos que compõem a cesta básica pesquisada tiveram queda em seus preços médios, com destaque para o feijão (-2,87%), o tomate (-2,62%) e o óleo (-1,83). Por outro lado, ficaram mais caros: o arroz (1,56%), o açúcar (1,11%) e o pão (0,83%). Apenas o preço médio da banana não variou.

No acumulado dos últimos doze meses, houve aumento no preço de oito produtos, com destaque para a banana (29,75%), a carne (23,29%) e o tomate (15,09%). Dentre os produtos que tiveram recuo em seus preços médios, destacam-se a batata (-28,07%) e o feijão (-19,81%).

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)