Décio Lima, do PT, diz apostar em voto silencioso para virada contra bolsonarismo em SC

RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - Candidato a governador de Santa Catarina, Décio Lima (PT) aposta no voto silencioso dos catarinenses para reverter o cenário em relação a Jorginho Mello (PL), líder das pesquisas de intenção de voto no segundo turno.

Durante sabatina Folha de S.Paulo/UOL na manhã desta sexta-feira (28), o petista afirmou que está confiante em uma vitória no domingo (30). Pela primeira vez, um candidato do PT disputa o segundo turno em Santa Catarina.

"Tem muita gente que chega comigo e fala no ouvido 'estou com você, estamos juntos', aonde a gente anda, falam silenciosamente, isso é uma normalidade em Santa Catarina", afirmou.

Pesquisa Ipec divulgada em 18 de outubro mostra que Jorginho Mello tem 59% das intenções de voto totais, ante 26% de Décio. O petista, no entanto, minimiza o cenário adverso revelado pelo levantamento.

"Estou confiante numa virada porque essas pesquisas diziam o mesmo no primeiro turno, que eu estava com 6%", disse. Na antevéspera do segundo turno, no entanto, o Ipec mostrou Décio com 15% das intenções de voto, empatado tecnicamente na terceira posição.

"É uma luta de Davi contra Golias, porque aqui há uma expressão muito forte com ódio, embora são pessoas que trabalham num contingente muito insignificante do que é a maioria do povo catarinense, mas eles são muito agressivos, muito fortes", afirmou o petista.

Décio também disse acreditar que é possível reduzir a diferença entre Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Santa Catarina.

O estado deu uma das maiores vantagens a favor do presidente no primeiro turno: 62,21% dos votos válidos, contra 29,54% do candidato do PT à Presidência. "Não tenho dúvida", disse Décio, sobre a redução da diferença na segunda rodada.

"Estamos empenhados e vamos dar um resultado significativo na vitória do [ex-]presidente Lula, muito superior ao resultado que tivemos no primeiro turno, e também estou muito otimista, furando as bolhinhas, e acredito que vamos ter uma surpresa."

"Há uma narrativa equivocada sobre Santa Catarina, os acontecimentos pertinentes ao bolsonarismo não expressam o sentimento e a formação do povo catarinense", disse Décio. "É um estado que não combina com os acontecimentos mais recentes ocorridos aqui que vocês acompanharam, tiveram fortes lampejos de autoritarismos e uma construção de valores que contrariam a formação do povo catarinense."

A sabatina de Décio Lima foi transmitida no YouTube e nas plataformas digitais do UOL e da Folha de S.Paulo.

Participaram os jornalistas Fabíola Cidral e Leonardo Sakamoto, do UOL, e Caue Fonseca, repórter da Folha de S.Paulo em Porto Alegre.