Décio Odonne pede para deixar cargo de diretor-geral da ANP

Bruno Rosa e Ramona Ordoñez
Decio Oddone, Diretor-geral da ANP

Rio - Décio Odonne, diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), enviou uma carta ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciando antecipação do fim de seu mandato, que venceria em dezembro deste ano.

Na carta, Odonne destacou que nunca pertenceu a qualquer grupo ou contou com padrinho político. "E sempre acreditei que um cargo público só deve ser exercido enquanto a missão a ele associada esteja por ser cumprida", destacou em carta. Ele foi assumiu a função em 2016.

Odonne, ex-funcionário da Petrobras, afirmou que o setor de petróleo vem passando por grandes mudanças, com a criação do calendário de leilões, permitindo a retomada de investimentos do setor de óleo e gás. "O conjunto de leilões representou um marco para a retomada da indústria, que agora muda definitivamente de patamar. Com medidas como as rodadas, a oferta permanente, o estímulo à venda dos campos maduros e os estudos para o aproveitamento dos recursos além das 200 milhas, o Brasil voltou ao cenário internacional do petróleo. E retornou em grande estilo", afirmou em carta.

Ele disse ainda que todo esse processo de mudanças no setor "encerrou-se com os últimos leilões e a identificação das ações necessárias para eliminar as restrições regulatórias e estimular a competição nos setores de abastecimento, de distribuição e revenda de combustíveis automotivos e de aviação, de gás de cozinha e de gás natural".

O diretor-geral da ANP fala que chegou a hora de inciar mudanças na ANP. "Como o tempo dos mandatos nem sempre casa com os ciclos de mudança, acredito que seja hora de iniciar o processo de composição da diretoria colegiada que deverá aprovar as alterações regulatórias que vão sustentar as transformações que começamos a construir. Diferentes desafios demandam profissionais com características distintas. Não houve alterações na composição da diretoria colegiada da ANP em 2019. No entanto, três novos diretores deverão ser nomeados em 2020", afirmou.