Déficit do governo central vem acima do esperado em junho, a R$73,553 bi

·2 minuto de leitura
Moedas de real

Por Isabel Versiani

7BRASÍLIA (Reuters) - O governo central, composto por Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registrou déficit primário de 73,553 bilhões de reais em junho, informou o Tesouro nesta quinta-feira.

O déficit veio bem abaixo do computado no mesmo período do ano passado, quando as contas tiveram rombo recorde de 194,853 bilhões de reais sob o impacto de medidas tomadas para o enfrentamento da crise da pandemia, mas superou expectativas do mercado, que apontavam para um saldo negativo de 63,4 bilhões de reais, segundo pesquisa da Reuters.

As receitas do governo central líquidas de transferências aumentaram 57% em junho em termos reais frente ao mesmo mês de 2020, enquanto as despesas caíram 34,6%.

O Tesouro destacou, do lado das receitas, o impacto no mês de uma arrecadação extraordinária de 4 bilhões de reais de IRPJ/CSLL, incidentes sobre os lucros das empresas; de um menor diferimento de tributos na comparação com 2020 e do aumento das vendas e dos serviços em meio à retomada da economia, entre outros fatores.

Já sobre os gastos, o Tesouro chamou atenção para o fato de as despesas primárias não relacionadas à Covid-19 estarem mantendo trajetória de queda no acumulado em 12 meses.

"O comportamento da despesa primária ex-Covid mostra a importância das regras fiscais em vigor para evitar que despesas temporárias de combate à pandemia se transformem em despesas permanentes", disse o Tesouro em nota.

O fator determinante para a queda das despesas no mês, no entanto, foi mesmo a redução dos gastos relacionados ao enfrentamento da pandemia. Os créditos extraordinários caíram 85% no mês na comparação anual, para 12,7 bilhões de reais, refletindo principalmente a redução nas despesas com o auxílio emergencial pago pelo governo.

Já os aportes feitos pelo Tesouro em fundos garantidores para fomentar o crédito às empresas na crise caiu de 21 bilhões de reais em junho de 2021 para cerca de 400 milhões de reais no mês passado.

Em junho, o Tesouro Nacional registrou déficit primário de 18,190 bilhões de reais, enquanto a Previdência Social marcou saldo negativo de 55,141 bilhões de reais e o BC, déficit de 221 milhões de reais.

Com o saldo de junho, o governo central passou a acumular déficit primário no ano, de 53,7 bilhões de reais. No primeiro semestre de 2020, o saldo fiscal fora negativo em 417,3 bilhões de reais. A meta do governo central para este ano é um déficit de 247,2 bilhões de reais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos