Dólar à vista fecha em alta de 2,84%, a R$5,3236

·1 minuto de leitura
Funcionário do banco Korea Exchange Bank conta notas de dólares dos EUA na sede do banco, em Seul

SÃO PAULO (Reuters) - Uma venda generalizada de ativos brasileiros dominou o mercado doméstico nesta quarta-feira e cobrou seu preço na taxa de câmbio, com o dólar experimentando a maior alta em 15 meses e indo acima de 5,30 reais, conforme investidores estrangeiros e locais se desfizeram de posições em meio a temores de acirramento da crise institucional doméstica e de seus potenciais desdobramentos sobre as contas públicas e o crescimento econômico.

O dólar à vista saltou 2,84% no fechamento, para 5,3236 reais. É a maior valorização percentual diária desde 24 de junho de 2020 (+3,33%). O patamar é o mais alto desde o último dia 23 (5,3823 reais).

O real teve, de longe, o pior desempenho entre as principais moedas globais nesta sessão.

Entre outros mercados domésticos, os juros futuros de longo prazo --que medem o custo do dinheiro para investimentos empresariais-- chegaram ao fim da tarde em disparada de 27 pontos-base, e o principal índice das ações brasileiras tombou 3,75% (dados preliminares), maior queda desde 8 de março deste ano.

(Por José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos