Dólar abre acima de R$ 4,60 pelo segundo dia seguido; BC fará novo leilão nesta sexta para conter alta

Cédulas de dólar, a moeda oficial dos Estados Unidos

RIO - O dólar abriu em leve queda nesta sexta-feira, mas ainda acima de R$ 4,60. A moeda era cotada a R$ 4,64, praticamente estável em relação ao dia anterior. Ontem, fechou em R$ 4,65, novo recorde, mesmo com três atuações do Banco Central no câmbio. A Bolsa caiu 4,6% na quinta-feira, seguindo a tendência de queda no exterior. O mercado de ações abre às 10h no Brasil.

Investidores temem que a epidemia do novo coronavírus leve a uma desaceleração global. No caso brasileiro, os especialistas avaliam que a atuação do BC está sendo branda para corrigir as disfunções no mercado, além de enxergarem uma certa queda de braço entre investidores e BC.

Às 9h30m, a autoridade monetária fará nova atuação no mercado cambial, vendendo 40 mil contratos de swap (um instrumento financeiro que equivale à venda de dólares) no total de US$ 2 bilhões. O leilão foi anunciado na véspera, quando o BC vendeu ao todo US$ 3 bilhões neste tipo de contrato.

Desde o início do ano até quinta-feira, o dólar acumula valorização de 15,9%. Por sua vez, a Bolsa no Brasilregistra perdas de 11,6% no mesmo período.

Lá fora, as bolsas asiáticas fecharam em queda nesta sexta-feira, e as europeias abriram em baixa. As principais praças, como Londres, Paris e Frankfurt, recuavam mais de 3%.