Dólar abre em alta, a R$ 4,24, após Trump anunciar retomada de tarifas sobre metais brasileiros

Gabriel Martins

RIO — No último mês do ano, o dólar comercial segue com sua tendência de valorização. A moeda americana é negociada a R$ 4,241 nesta segunda-feira (dia 2), com alta de 0,03%. O que explica este comportamento da divisa americana é a sinalização do presidente Donald Trump de que os Estados Unidos vão retomar as tarifas comerciais sobre o aço e o alumínio do Brasil e da Argentina.

Trump acusa os dois países sul-americanos de desvalorizarem, propositalmente, suas moedas. Por meio de suas redes sociais, o presidente dos EUA afirmou que as medidas supostamente adotadas pelos dois países prejudicam os agricultores americanos.

"O Brasil e a Argentina têm liderado uma desvalorização maciça de suas moedas, o que não é bom para os nossos agricultores. Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todos os aços e alumínio enviados para os EUA a partir desses países", escreveu Trump em seu Twitter.

Após as declarações do presidente americano, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, ao deixar o Palácio da Alvorada esta manhã, que poderá conversar com Trump a respeito da decisão anunciada.

Em meio às recentes valorizações do dólar, que chegou a fechar no patamar histórico de R$ 4,25, os economistas consultados pelo Banco Central para a elaboração do Boletim Focus mantiveram estável a projeção da taxa de câmbio para 2019. De acordo com o Focus, a moeda americana vai fechar este ano valendo R$ 4,10. Duas semanas atrás, a expectativa era que o valor fosse menor, R$ 4.

Em novembro, o dólar comercial acumulou uma valorização de 5,77% frente ao real, maior alta mensal desde agosto passado (8,51%).

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263).