Dólar começa 2021 em queda ante real com otimismo internacional

Luana Maria Benedito
·3 minuto de leitura
Dólar começa 2021 em queda ante real com otimismo internacional

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar operava em queda contra o real na primeira sessão de 2021, depois de fechar o ano anterior com forte ganho acumulado, acompanhando a euforia dos mercados internacionais nesta segunda-feira em meio a esperanças de que as vacinas contra a Covid-19 impulsionem uma recuperação econômica generalizada.

As ações globais alcançaram máximas recordes e o índice do dólar contra uma cesta de moedas operava em queda nesta manhã, sinalizando demanda elevada por ativos arriscados à medida que vários países dão sequência a suas campanhas de vacinação.

"O apetite por risco é sustentado pelo avanço da vacinação em vários países, enquanto investidores monitoram o aumento do número de casos de Covid-19", escreveram analistas do Bradesco.

Na semana passada, o Reino Unido tornou-se o primeiro país do mundo a aprovar a vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca, o que, segundo nota de Ricardo Gomes da Silva Filho, da Correparti Corretora, também "reforça a aceitação por risco pelos investidores".

Ele também citou resultados fortes de pesquisas empresariais da zona do euro e da China como fatores de impulso para o sentimento dos operadores.

A atividade no setor industrial da China aumentou em dezembro, conforme a economia manteve sua recuperação para níveis pré-pandemia, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

Já na zona do euro, o PMI final do IHS Markit de dezembro sugeriu que a economia do bloco foi menos afetada pela pandemia do que mais cedo no ano.

Diante desse cenário, às 10:29 o dólar recuava 0,56%, a 5,1636 reais na venda, enquanto o contrato mais líquido de dólar futuro tinha queda de 0,61%, a 5,1655 reais.

Na última sessão de 2020 a moeda norte-americana à vista avançou 0,17%, a 5,1915 reais na venda.

Esse comportamento nesta sessão estava em linha com as perdas registradas pela moeda norte-americana contra peso mexicano, lira turca e rand sul-africano, pares emergentes do real.

Enquanto isso, no Brasil, os investidores entravam em 2021 ainda de olho na situação fiscal, depois que temores de que o governo pudesse furar seu teto de gastos para este ano ajudaram o dólar a disparar 29,37% no acumulado do ano passado.

Dentro dessa pauta, ficava no radar a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro sancionou na quinta-feira a Lei de Diretrizes Orçamentárias vetando, entre outros pontos, um dispositivo que impedia a limitação de gastos em ações vinculadas à produção e disponibilização de vacinas contra a Covid-19.

O diretor de câmbio da Ourominas, Mauriciano Cavalcante, escreveu que a preocupação fiscal, assim como a demora para início da vacinação da população no Brasil, pode ser um fator de impulso para o dólar nesta semana, apesar do clima otimista no exterior.

O Banco Central anunciou que dará início a partir desta segunda-feira à rolagem de 236.430 contratos de swap cambial com vencimento em 1º de fevereiro de 2021, no montante de 11,8 bilhões de dólares. O BC ofertará 16 mil contratos para rolagem desse vencimento neste pregão.