Dólar opera em queda, com ajuda do exterior

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO — O dólar opera em baixa no início do pregão desta quinta-feira. Ainda sob a influência de um cenário exterior com maior apetite para o risco, a moeda segue a tendência de baixa vista na quarta. No cenário interno, os investidores aguardam a entrega da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022, em meio às discussões sobre o Orçamento para 2021.

Por volta de 09h53, a divisa americana era negociada a R$ 5,62, baixa de 0,74%.

Na discussão sobre os gastos públicos, o Ministério da Economia avalia propor ao Congresso uma alteração da meta de resultado das contas públicas deste ano para editar medidas de combate à Covid-19.

Neste ano, o governo está autorizado a um rombo de até R$ 247 bilhões, o que não é suficiente para acomodar os gastos necessários.

Essa é mais uma das tentativas ventiladas nas últimas semanas para pôr fim ao imbróglio da semana. O presidente Jair Bolsonaro tenta se equilibrar entre as exigências de sua base aliada no Congresso, o respeito ao teto de gastos e a transmissão de uma mensagem de credibilidade ao mercado.

Outro assunto que continua no radar dos investidores é o andamento da CPI para investigar o combate da pandemia feito pelo governo federal. Na quarta-feira, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a instalação da Comissão, na qual o governo não terá maioria.

No exterior, segue a temporada de balanços, o que pode animar os mercados pelo mundo. A alta no preço de commodities e a queda dos rendimentos dos títulos do Tesouro americano também tendem a favorecer mercados emrgentes, como o brasileiro.

Serviços

O setor de serviços cresceu 3,7% na comparação com dezembro, e superou o nível que se encontrava antes da pandemia da Covid-19, segundo dados do IBGE divulgados nesta quinta.

O setor de transportes (4,4%) foi o que puxou a alta, com o avanço dos serviços de logística e transporte rodoviário de cargas.

Bolsas no exterior

Na Europa, as bolsas operam no positivo, com dados preliminares positivos de algumas empresas. Por volta de 9h53, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres tinha alta de 0,51%. Em Frankfurt, o avanço era de 0,19% e, em Paris, de 0,41%.

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira. O índice Nikkei, da Bolsa Tóquio, subiu 0,07%. Em Hong Kong, houve recuo de 0,37% e, na China, e 0,52%.