Dólar opera em queda, com Orçamento e exterior no radar. Bolsa tem volatilidade

O Globo
·2 minuto de leitura

RIO — O dólar opera em queda no início do pregão desta terça-feira. Os investidores seguem atentos ao cenário interno, com as discussões finais sobre o Orçamento para 2021, que precisa ser sancionado nesta semana. No exterior, continua a temporada de balanços corporativos, em um dia mais fraco para os mercados.

Por volta de 10h45, a moeda americana era negociada a R$5,53, queda de 0,32%. No mesmo horário, o índice Ibovespa subia 0,20%, a 121.177 pontos.

A falta de vigor nos mercados estrangeiros, que operam em baixa, e a proximidade do feriado nacional devem levar os investidores a serem mais cautelosos no dia.

Riscos para as contas públicas

Nesta segunda, o governo e o Congresso finalmente chegaram a um acordo para resolver o impasse da pauta orçamentária.

Com as tratativas, o presidente Jair Bolsonaro vetará parte das emendas do relator, que ficarão na casa dos R$18,5 bilhões, abrindo espaço para despesas obrigatórias.

O Congresso também aprovou o projeto de lei que destrava a edição de medidas econômicas contra a pandemia de Covid-19.

Entre as medidas que podem ser editadas, após a sanção do projeto, está o programa de manutenção de empregos nos moldes da antiga medida provisória (MP) 936. Outra é o Pronampe, empréstimo a pequenas empresas com garantias da União.

Os programas serão editados fora do teto de gastos, o que mantém os investidores apreensivos, apesar da solução para o Orçamento.

—Isso ficou muito no radar dos investidores. O principal acontecimento do dia é o projeto de lei que altera tanto a LDO quanto a Lei Orçamentária de 2021, corrigindo os erros do texto. Mas gastos ainda podem ficar fora do teto. Os investidores também acompanham o que o ministro Paulo Guedes falará durante entrevista na parte da tarde — disse o analista da Toro Investimentos, Lucas Carvalho.

Bolsas no exterior

Nos Estados Unidos, as bolsas repetem o desempenho fraco do dia anterior. Por volta de 10h48, no horário de Brasília, o índice Dow Jones caía 0,31% ao passo que no S&P, a queda era de 0,20%. Em Nasdaq havia ligeira alta de 0,06%.

Na Europa, as bolsas operavam em queda firme pela manhã. Um movimento de ajustes, após as altas obtidas na semana anterior, e a preocupação com a Covid-19 contribuem a queda.

Por volta de 10h45, a Bolsa de Londres tinha queda de 1,07%. O movimento de baixa era acompanhado em Frankfurt e Paris, onde as bolsas cediam a 0,80% e 1,36%, respectivamente.

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira. O destaque negativo foi para a Bolsa de Tóquio, que caiu 1,97%, influenciada pelo avanço de casos de coronavírus no país.

Em Hong Kong, houve avanço de 0,10% e na China, leve queda de 0,13%.