Dólar recua, mas ainda opera bem próximo de R$ 5,20; na Bolsa, Ibovespa cai

Gabriel Martins

RIO e BRASÍLIA — O  dólar comercial inverteu a tendência de valorização observada na véspera, mas ainda opera pressionado. A moeda americana operava com leve queda de 0,29% às 10h desta quinta-feira (dia 18), valendo R$ 5,18. Na véspera, a divisa alcançou a máxima de R$ 5,25 durante as negociações. Na Bolsa de Valores de São Paulo, o Ibovespa (referência da B3) cai 2,79%, aos 65.026 pontos, acompanhando o mercado internacional.

Veja também:

Internamente, além do temor causado pela rápida disseminação do novo coronavírus, os investidores também avaliam o corte em 0,5 ponto percentual na taxa Selic.

— Os investidores estão avaliando a decisão tímida do Copom de cortar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, para 3,75%, quando a expectativa era de corte maior. O comunicado pareceu meio deslocado da situação atual, mas a Selic mantém viés de queda — avaliou Álvaro bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais.

Confira ainda:

O Banco Central (BC) vendeu US$ 2,25 bilhões na manhã desta quinta-feira. A autoridade monetária fez um leilão de linha (quando há compromisso de recompra) de US$ 2 bilhões. Depois, realizou outro leilão, mas de dólar à vista, no valor de US$ 500 milhões. Desta operação, apenas US$ 250 milhões foram aceitos pelo mercado. 

Na véspera, o BC já tinha vendido US$ 2,8 bilhões entre leilões à vista e em linha.

Também na quarta, em uma ação pouco usual, o BC utilizou um novo instrumento para estabilizar o mercado, conhecido como repo. Nessa atuação, o BC compra compra bônus da dívida brasileira denominados em dólar com o compromisso de revenda em 30 dias. O objetivo foi amenizar a instabilidade que persiste nos mercados.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)