Dólar sobe e Bolsa abre em queda com riscos fiscais no radar, após anúncio de medidas para baratear combustíveis

A Bolsa brasileira abriu em queda nesta terça-feira e o dólar opera em forte alta, com riscos fiscais no radar. O governo anunciou na segunda-feira medidas para baratear os combustíveis, incluindo zerar o PIS/Cofins sobre a gasolina e o etanol, abrindo mão da arrecadação. O do diesel já está zerado.

A Bolsa caía 0,41%, aos 109.730 pontos, por volta de 10h20. O dólar subia 2,14%, cotado a R$ 4,8984.

Além de abrir mão da arrecadação federal, os estados acompanhariam esse movimento, reduzindo a alíquota do ICMS sobre os combustíveis. Mas seriam em parte compensados pelo governo. Uma das fontes de compensação seriam os recursos vindos da privatização da Eletrobras.

Como a proposta do governo federal apresentada ontem engloba a compensação, ainda que parcial, de perda de arrecadação dos estados, as despesas superariam o teto de gastos. Para mudar essa regra, em vigor desde 2017, o governo pretende aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC).

Analistas e investidores veem riscos fiscais nessa manobra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos