Dólar sobe frente ao real em março e interrompe três meses seguidos de queda

Por Claudia Violante
Pacote de notas de cinco dólares dos Estados Unidos passam por inspeção 26/03/2015 REUTERS/Gary Cameron/File Photo

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou a sexta-feira em baixa, num movimento de correção após ter encostado em 3,18 reais no dia, mas encerrou março com alta acumulada, interrompendo três meses consecutivos de perdas.

O dólar recuou 0,41 por cento, a 3,1311 reais na venda, depois de marcar a máxima de 3,1792 reais no dia. O dólar futuro tinha queda de 0,60 por cento no final da tarde.

Na semana, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,73 por cento e fechou março com valorização de 0,57 por cento. Foi a primeira alta mensal desde o ganho de 6,18 por cento em novembro de 2016.

No primeiro trimestre, no entanto, o dólar acumulou queda de 3,65 por cento frente ao real.

"O pregão hoje foi bastante técnico, com volume forte e muito focado na formação da Ptax", afirmou o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

Durante a manhã, os investidores que defendiam uma Ptax mais alta compraram moeda norte-americana e a levaram a superar 1 por cento de ganhos. A trajetória se inverteu após a tomada de preços para a taxa, no começo da tarde. A Ptax uma taxa do BC utilizada em diversos contratos cambiais.

Segundo operadores, o leilão de venda de dólares com compromisso de recompra feito pelo Banco Central evitou maiores baixas do dólar nesta sessão. Dos até 2 bilhões de dólares ofertados, o BC vendeu efetivamente apenas 550 milhões de dólares para rolagem de parte dos 4,4 bilhões de dólares vencem em abril.

"Além disso, o BC também vai deixar vencer boa parte do swap cambial, e tudo isso conteve o movimento de queda, juntamente com a cautela para os dados norte-americanos da próxima semana", emendou Silva, referindo-se aos swaps tradicionais --equivalentes à venda futura de dólares-- de abril, que o BC rolou cerca da metade. Em maio, vencem cerca de 6,4 bilhões de dólares em swaps.

Para abril, o mercado trabalha com volatilidade um pouco maior no mercado de câmbio, à medida que vai chegando mais perto a votação da reforma da Previdência no Congresso Nacional.