Dólar passa a cair ante real com foco em dados de inflação dos EUA

·3 minuto de leitura
Dólar tem leve alta contra real antes de dados de inflação dos EUA

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar passava a cair contra o real nesta segunda-feira, acompanhando a fraqueza da divisa norte-americana no exterior, enquanto operadores de todo o mundo trabalhavam em modo de espera no início de uma semana que contará com dados de inflação dos Estados Unidos, em busca de pistas sobre o destino da política monetária do Federal Reserve.

Às 10:20, o dólar recuava 0,52%, a 5,3278 reais na venda, depois de ter apresentado leve alta nos primeiros minutos de negociação. O contrato mais negociado de dólar futuro tinha queda de 0,63%, a 5,330 reais.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de moedas fortes também trabalhava com perdas, rondando mínimas em três meses.

É "uma semana com muitos dados", destacaram em nota analistas da Genial investimentos, mas o mais importante de todos será a leitura da inflação e consumo pessoal nos Estados Unidos. "Este dado será fundamental para dar a direção da política monetária nos Estados Unidos nos próximos meses."

O dólar, visto como um porto seguro, tem recuado de forma constante nos últimos dois meses em relação às principais moedas, à medida que o otimismo cresce em relação às perspectivas econômicas globais. No entanto, temores sobre um superaquecimento da maior economia do mundo e o risco de uma inflação sustentada poderiam levar o banco central dos EUA a apertar sua política monetária mais cedo do que o esperado.

A depreciação do dólar no mercado internacional "pode mudar a qualquer momento se houver o descolamento para cima das taxas de juros dos títulos norte-americanos, alavancados pela inflação interna, que levaria a moeda norte-americana a apreciação", explicou em nota Sidnei Nehme, economista e diretor-executivo da NGO Corretora.

Enquanto isso, no cenário doméstico, os investidores continuavam de olho no clima político, que, segundo Nehme, pode piorar a percepção do risco-país.

"O viés político acentuado já em clima eleitoral (...) desfoca de forma relevante os fatores mais importantes demandados pelo país, e este ambiente de acirramento deve ser crescente", disse ele. "As expectativas de que sejam alcançadas no tamanho adequado as reformas administrativa e tributária vão se tornando menores e devem impactar como fatores internos, fora a crise fiscal, na formação do preço (do dólar)" no Brasil.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar das eleições de 2022 e disse que a disputa já tem uma chapa definida com um "ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice", em aparente referência aos antecessores Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso.

Em entrevista para o jornal Folha de S. Paulo divulgada nesta segunda-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo irá "para o ataque" com a aproximação da eleição presidencial.

Na última sessão, o dólar à vista registrou alta de 1,51%, para 5,3554 reais na venda.

O Banco Central fará neste pregão leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em novembro de 2021 e março de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos