Dólar tem volatilidade e Ibovespa cai, com dados fracos da economia chinesa

·3 minuto de leitura

RIO — O dólar alterna leves altas e baixas ante o real, enquanto o Ibovespa cai no início desta quarta-feira. As expectativas sobre a nova alta da Selic, que será definida na próxima semana, seguem no foco dos investidores, que também avaliam novos dados locais. No exterior, o destaque vai para números da economia chinesa abaixo do esperado.

Por volta de 10h35, a moeda americana era negociada a R$ 5,2549, queda de 0,06%. No mesmo horário, o Ibovespa tinha baixa de 0,62%, aos 115.465 pontos.

Prévia do PIB e juros

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB) subiu 0,6% em julho na comparação dessazonalizada com junho, conforme divulgado nesta quarta-feira pela autoridade monetária. O número veio acima das expectativas do mercado.

No acumulado de 12 meses até julho o IBC-Br subiu 3,26%.

O IBC-Br tem metodologia de cálculo diferente da utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A divulgação ocorre em um contexto de revisão das expectativas para o crescimento do PIB em 2022, com uma inflação alta e expectativas por novas elevações da taxa básica de juros, sem contar a instabilidade política e institucional.

E por falar em juros, na terça-feira, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, mexeu com os mercados ao indicar que não haverá alteração no plano de voo do Comitê de Política Monetária (Copom) a respeito da taxa básica de juros como reação a cada novo dado de inflação alta que for divulgado.

Mas ele também afirmou que levará a taxa “para onde precisar levar” a fim de combater a inflação alta. As declarações foram lidas pelo mercado como uma sinalização de alta de 1 ponto percentual da Selic na semana que vem e como um ciclo maior de aperto para as próximas reuniões.

“Esperamos uma abertura de viés neutro/negativo para a bolsa brasileira, na falta de catalizadores locais positivos e na manutenção de um ambiente de maior cautela no exterior”, escreveram analistas da Guide Investimentos, em nota matinal.

Dados chineses decepcionam

A divulgação de alguns dos principais indicadores econômicos mostrou que a atividade chinesa esfriou em agosto ante julho.

Segundo dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas da China, as vendas do varejo subiram 2,5% em agosto em relação ao mesmo mês do ano passado, após o crescimento de 8,5% em julho.

A produção industrial, por sua vez, cresceu 5,3% em agosto em relação ao mesmo mês do ano anterior, mas desacelerando em relação aos 6,4% registrados em julho.

Os números vieram abaixo das expectativas e foram influenciados por medidas mais rígidas de contenção ao coronavírus.

As bolsas asiáticas fecharam em queda. O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, caiu 0,17%. Em Hong Kong, houve recuo de 1,84% com pressão do setor de tecnologia e, na China, baixa de 0,17%.

Ações

Entre as ações, as ordinárias da Petrobras (PETR3, com direito a voto) subiam 0,64% e as preferenciais (PETR4, sem direito a voto), 0,89%.

As ordinárias da Vale (VALE3) cediam 1,25%, influenciadas pela queda do minério de ferro negociado no exterior.

As preferenciais do Itaú (ITUB4) e do Bradesco (BBDC4) cediam 0,28% e 0,47%, respectivamente.

Outras bolsas

Na Europa, as bolsas operavam com direções contrárias. Por volta de 10h35, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres subia 0,60%. Em Frankfurt e Paris, ocorriam baixas de 0,07% e 0,65%, respectivamente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos