Dólar turismo é vendido por até R$ 4,44 nas casas de câmbio do Rio

Stephanie Tondo
Dólar atingiu maior cotação histórica

Após fechar em alta de 0,32% na segunda-feira (dia 18), cotado a R$ 4,206, o dólar em espécie já está sendo vendido a até R$ 4,44 nas casas de câmbio do Rio de Janeiro. Já o euro chega a custar até R$ 4,92. Para quem vai viajar, especialistas recomendam comprar a moeda aos poucos.

Segundo levantamento feito pela reportagem, a cotação do dólar turismo varia entre R$ 4,41 e R$ 4,44 nesta terça-feira. O valor já inclui o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que é de 1,1%.

Para o professor de Finanças do Ibmec RJ e economista da Órama, Alexandre Espírito Santo, essa alta foi causada por uma combinação de fatores, principalmente externos. Segundo ele, existe um efeito sazonal, que normalmente faz com que a moeda fique mais cara no fim do ano, em função do aumento da demanda.

Além disso, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, somada à instabilidade política na América Latina, também colaboraram para a alta do dólar.

— O Banco Central faria hoje uma operação de venda de dólares, mas cancelou em função do feriado de amanhã, o que manteve a pressão sobre a cotação. Para quem vai viajar, a recomendação é comprar cerca de 30% do valor necessário neste momento, e deixar o resto para depois — explica Espírito Santo.

Fernando Bergallo, diretor de Câmbio da FB Capital, também recomenda que o consumidor compre a moeda aos poucos.

— Nossa orientação é que o consumidor faça uma taxa média, ou seja, não tente eleger uma única data como um eventual melhor momento para comprar. Ele pode comprar a metade agora, por exemplo, e na semana seguinte comprar o resto, pagando mais ou menos. Embora o dólar esteja alto, existe sempre a possibilidade de subir, então é importante comprar uma parte neste momento — diz.

Cartão pré-pago não compensa

No cartão pré-pago, o preço do dólar turismo varia entre R$ 4,62 e R$ 4,70, em função do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que é mais alto, de 6,38%, o mesmo percentual cobrado para operações no cartão de crédito.

Por isso, segundo Bergallo, a modalidade tem tido menos procura por parte dos consumidores, que acabam optando por viajar com dinheiro em espécie e cartão de crédito.

— O cartão de crédito irá cobrar a mesma taxa do pré-pago, mas pelo menos oferece prazo para o turista pagar — avalia.

No caso do euro, o valor cobrado no cartão pré-pago nas casas de câmbio do Rio varia entre R$ 5,14 e R$ 5,21.