Dólar volta a subir e chega a R$ 5,26 no início da tarde desta quarta-feira

·4 minuto de leitura

RIO — Após abrir o dia em queda de 0,71%, cotado a R$ 5,17, o dólar comercial voltou a subir no início da tarde desta quarta-feira, registrando alta de 1,01% a R$ 5,26, superando o valor registrado no fechamento do dia anterior, que foi de R$ 5,20.

Investidores do mundo inteiro aguardam a divulgação, esperada para o meio da tarde de hoje, da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, em busca de pistas sobre o futuro da política monetária do país.

O Ibovespa, principal índice da B3, iniciou o dia em alta, e por volta das 12h40 registrava valorização de 0,83%, a 126.130 pontos.

A Vale (VALE3) apresentava alta de 1,27% no início da tarde, assim como a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN3), que subia 2,69%.

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) subiam 0,8% por volta das 13h, enquanto as ordinárias (PETR3) tinham alta de 0,56%.

Petróleo volta a cair

Após abrirem o dia em alta e chegarem até mesmo a reverter as perdas de terça-feira, os preços do petróleo voltaram a cair no início da tarde desta quarta-feira, enquanto as nações da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) continuam sem chegar a um acordo sobre a produção da commodity.

Por volta das 13h, o WTI, negociado em Nova York, registrava queda de 1,71%, a US$ 71,76, enquanto o Brent, referência mundial de preço do petróleo, caía 1,38%, cotado a US$ 73,15.

A reunião da Opep+, que foi prorrogada na semana passada devido a divergências entre os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, terminou na segunda-feira sem um acordo para ampliar os limites de produção de petróleo sob o acordo de corte de produção do cartel.

Shell vai aumentar retorno a acionistas

A petroleira Shell vai ampliar os retornos a acionistas por meio de recompras de ações ou dividendos antes do esperado, após uma forte alta nos preços do petróleo e gás há alguns dias ter ajudado a companhia a reduzir sua dívida, disse a empresa anglo-holandesa nesta quarta-feira.

A partir do segundo trimestre, a Shell aumentará a distribuição a acionistas para um nível de 20% a 30% do fluxo de caixa de suas operações, informou a companhia em comunicado ao mercado antes de publicar seu balanço trimestral.

O movimento, que ocorre antes do que muitos analistas esperavam, deve-se a "fortes resultados operacionais e financeiros, combinados a uma melhora no cenário macroeconômico".

A Shell havia afirmado anteriormente que ampliaria os retornos a acionistas assim que sua dívida líquida recuasse para menos de 65 bilhões de dólares. A empresa disse nesta quarta-feira que vai "retirar" a meta, sem especificar se a atingiu.

"A Shell espera ter reduzido sua dívida líquida no segundo trimestre, embora a extensão dessa redução seja moderada por movimentos de capital de giro", afirmou a companhia.

O aumento nos retornos aos acionistas "é um marco importante, que ressalta a força da proposta de fluxo de caixa livre da Shell e transmite uma mensagem importante ao mercado", disse em nota o analista Christyan Malek, do JP Morgan.

Bolsas no exterior

As bolsas norte-americanas apresentam tendência de alta nesta quarta-feira. Por volta das 13h, o índice Dow Jones subia 0,14%, enquanto o S&P apresentava alta de 0,21% e, a Nasdaq, de 0,15%.

"No cenário internacional, em meio a discussões sobre um imposto mínimo corporativo, os Estados Unidos aumentam a pressão contra o projeto da União Europeia de imposto sobre empresas digitais. O governo de Joe Biden defende que este entraria em conflito com a promessa feita pelo bloco de evitar novos impostos corporativos punitivos enquanto as negociações sobre um acordo tributário global estão sendo finalizadas, e deve utilizar o encontro de ministros de finanças/economia do G-20 nesta sexta-feira para alavancar sua agenda", informou relatório da XP.

Na Europa, a Bolsa de Londres sobe 0,71%, enquanto em Frankfurt e Paris as altas estão em 1,17% e 0,31%, respectivamente.

Na Ásia, por outro lado, as bolsas estão em queda. O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, caía 0,96% por volta das 13h, enquanto Hong Kong registrava queda de 0,40%. O índice CSI 300, das principais ações negociadas na Bolsa de Valores de Xangai e na Bolsa de Valores de Shenzhen, na China, por outro lado, registrava alta de 1,41% no início da tarde.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos