Dólar volta a subir, mas mantém patamar de R$ 4,06; Bolsa sobe aos 112 mil pontos

Cédula de dólar, a moeda oficial dos Estados Unidos

RIO — O dólar comercial segue abaixo do patamar de R$ 4,10 nesta terça-feira. Embora a moeda americana avance 0,12%, ela é negociada a R$ 4,066. O Ibovespa, índice de referência da Bolsa brasileira, opera aos 112.427 pontos, com valorização de 0,47%. Os desdobramentos do acordo "fase 1" entre China e Estados Unidos segue repercutindo nos mercados.

A agenda doméstica também tem contribuído para os atuais patamares de dólar e Bolsa. A projeção de uma retomada da economia mais consistente em 2020, junto com as indicações de melhora no ambiente brasileiro, de acordo com as agências de classificação de risco, contribuem para que o risco-país medido pelo contrato de CDS (Credit Default Swap, espécie de seguro contra calote da dívida pública) siga em queda.

Na véspera, o CDS de 5 anos chegou aos 98 pontos. Nesta terça, opera aos 97 pontos.

Os analistas projetam que a trajetória de queda do risco-país é benéfica tanto para a Bolsa quanto para o dólar.

"Ao longo do tempo, na medida em que cai a percepção de risco do país, eleva-se o apetite por ativos de risco locais, causando, assim, uma pressão compradora de reais que aprecia a moeda local frente ao dólar", escreveram os analistas da Guide Investimentos.