Dúvidas sobre a água podem impactar na privatização da Cedae

Paulo Cappelli
A venda da Cedae está prevista no Regime de Recuperação Fiscal do Rio

Para especialistas, a venda da Cedae — prevista no Regime de Recuperação Fiscal do Rio — pode sofrer o impacto dos problemas constatados na água desde o início do ano. Embora seja difícil dimensionar os efeitos da crise, o fato de possíveis compradores vislumbrarem a necessidade de investir altas quantias para melhorar o sistema de tratamento da água, colocado em xeque, e ações judiciais de consumidores podem pesar na hora de definir o preço de mercado da companhia.

— Mais do que o dano à imagem da empresa, há o risco real de diminuição do valor, porque o comprador pode ter que fazer novos investimentos para melhorar a qualidade do sistema, de forma a fornecer água clara e potável — afirmou o economista Pablo Skyer, da Mirae Asset Financial Group.

O imbróglio da água da Cedae acontece justamente num momento em que o estado trabalha para obter uma cotação de mercado mais atrativa para a companhia.

LEIA: MATÉRIA NA ÍNTEGRA EXCLUSIVA PARA ASSINANTES