Da comédia ao drama, "Pantanal” dá aula do que não fazer no sexo; confira

Cenas de sexo em
Cenas de sexo em "Pantanal" repercutem (Fotos: Reprodução/Globo)

Se tem algo que repercute muito em "Pantanal" são as cenas de sexo. A direção e o elenco têm caprichado muito para entregar um bom trabalho. Com cenas que passam pelo drama e a comédia, o público pode até tirar algumas lições das sequências. Os episódios que contaram com cenas quentes, inclusive, mostraram bem o que não se deve fazer na hora H.

Usar o perfume da sogra

Incentivada por Filó (Dira Paes), Juma (Alanis Guillen) passou o perfume de Madeleine (Karine Teles) para ter sua primeira relação sexual com Jove (Jesuíta Barbosa). O rapaz, que não se dava bem com a mãe, perdeu o tesão quando reconheceu o cheiro. A princípio, Juma não entendeu nada e ficou chateada.

Um estudo da Universidade de Utrecht, na Holanda, concluiu que o olfato é o sentido que desperta mais memórias emocionais. Tendo uma boa relação ou não com a mãe e a sogra, usar o perfume de alguém muito próximo na hora do sexo pode não ser uma boa pedida. Melhor não seguir os passos de Juma...

Falar de filhos

Campeões em acabar com o clima na hora do sexo, Jove e Juma estavam nas preliminares quando o rapaz resolveu falar sobre filhos com a amada. Na mesma hora, Juma perdeu a vontade de transar e se afastou do namorado. A personagem já falou centenas de vezes que não tem o desejo de ser mãe. Coincidentemente, na primeira fase da trama, Maria Marruá (Juliana Paes) passou pela mesma situação com o marido. Fica a dica: se o seu parceiro (a) já verbalizou que não quer ter filhos e você deseja continuar na relação, respeite, não cobre e evite o assunto nos momentos de intimidade.

Invadir casas

Transar em locais proibidos pode até ser o fetiche de alguns, mas é preciso tomar cuidado. Invadir casas é crime e você pode se dar muito mal. O artigo 150 do código penal prevê detenção de um a três meses ou multa para quem "entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências".

Guta (Julia Dalavia) e Tadeu (José Loreto) usaram a tapera de Juma para transar sem a autorização dela no capítulo de terça-feira (1). Neste caso, os dois não responderam pelo ato juridicamente, mas acabaram flagrados pelo Velho do Rio encantado em cobra. Guta se assustou, gritou e parou de transar com Tadeu na mesma hora. Era melhor não ter feito o local de motel, né?

Sexo sem consentimento é estupro

Embora os personagens evitem falar a palavra estupro, o que rolou entre Levi (Leandro Lima) e Muda (Bella Campos) foi crime. A jovem já havia deixado claro que não queria transar com o peão. Ainda assim, ele não parou de insistir e chegou a usar a força para intimidá-la. O mesmo se repetiu em uma cena de Levi e Maria Bruaca (Isabel Teixeira). A personagem chegou a desmaiar de medo.

Como reforçado pelo personagem de Jesuíta Barbosa, denunciar qualquer ato de violência contra a mulher é uma forma de evitar que outras passem pelo mesmo. Na pele de Irma, Camila Morgado também deu o recado: "O que ele (Levi) fez tem nome e se chama estupro. Isso é crime! (...) A gente tem que prestar queixa. A gente passa um rádio, pede para ligar 180", declarou, inconformada.

Estupro, como se imagina, é crime previsto por lei, no artigo 213 do Código Penal de 1940, e que prevê de 6 a 10 anos de reclusão para quem "constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso". Caso a vítima tenha entre 14 ou 18 anos, a pena é aumentada, chegando até 12 anos de prisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos