Da lanterna ao G8: como Vojvoda recuperou o ano do Fortaleza e qual pode ser o destino dele em 2023

Da 4ª até a 12ª rodada do Brasileirão de 2022, o Fortaleza ocupou a lanterna da competição e depois de algumas trocas de posição com o Juventude, terminou o primeiro turno no último lugar. Antes do campeonato nacional começar, no entanto, foi campeão cearense e da Copa do Nordeste pela segunda vez consecutiva, mas os outros torneios, priorizados pelo treinador argentino Juan Pablo Vojvoda, fizeram o Leão terminar como o último colocado na primeira etapa do Campeonato Brasileiro. Especulado em diversos clubes, o treinador ainda não decidiu se continua no futebol cearense ou se vai mudar de casa na próxima temporada.

Em agosto, tudo mudou para o Tricolor. A eliminação na Copa do Brasil para o Fluminense, nas quartas de final, aliada à queda na Libertadores, nas oitavas, no mês anterior, quando o Estudiantes goleou o clube cearense, fizeram o time rapidamente recuperar o bom desempenho no Brasileirão. Na 22ª rodada, apenas três depois do fim do primeiro turno, já estava fora da zona de rebaixamento. Foram 40 pontos conquistados dos 57 possíveis, com um aproveitamento de 70,2% e o recorde para um clube nordestino em um único turno.

Na segunda etapa, Vojvoda aplicou a mesma fórmula, mas o clube apostou em cinco reforços na janela de transferências internacionais do meio do ano: Fabrício Baiano, Lucas Sasha, Thiago Galhardo, Romulo Otero e Emanuel Brítez. Com as contratações, o clube chegou ao 12º lugar no ranking de elenco mais caro do Brasileirão, avaliado em 34,4 milhões de euros (aproximadamente R$189 milhões). O valor fica bem abaixo de outros concorrentes que terminaram o campeonato em posições inferiores, como São Paulo (R$456 milhões, em nono no campeonato), Bragantino (R$490 milhões, terminado em 14º lugar), Botafogo (R$456 milhões, 11º colocado) e Santos (R$411 milhões, uma posição atrás do Glorioso).

Depois — e durante — todos esses feitos, os olhares do futebol nacional se voltaram para o treinador argentino, que ainda não tem um destino certo em 2023. Em setembro, quando conquistou o acesso matemático, o Grêmio foi um dos times que demonstrou interesse no técnico, mas recebeu a resposta de que ele estava em negociações com o Bahia. Desde então, Vasco, Atlético-MG, Corinthians e Santos foram outros clubes que apareceram como supostos interessados em Vojvoda.

Na entrevista coletiva após a vitória por 2 a 0 sobre o Santos, o que garantiu o Leão na oitava posição do Brasileirão e a vaga para a pré-Libertadores, Vojvoda afirmou que ainda não tomou sua decisão sobre o futuro.

— Ainda não decidi, sou totalmente sincero. O Castelão fez uma festa inesquecível para mim, mas minha cabeça estava focada nesta partida (contra o Santos). Agora vou descansar, limpar a cabeça, tomar decisões com tranquilidade, sempre para o melhor do Fortaleza. O torcedor nordestino sente muito, torce muito. Mas o futebol é profissional, tenho que tomar decisões para minha carreira. Eu penso futebol muito ligado a paixão, e o nordeste tem isso, mas tenho que tomar decisões com a cabeça fria.

Números de Vojvoda no Fortaleza

De recordes, o argentino entende: com a campanha de 2021, levou o futebol cearense à Libertadores pela primeira vez, e agora, é o primeiro a levar um clube nordestino para a competição duas vezes seguidas. Também se juntou ao Bahia (1989) e Sport (2000) ao passar da fase de grupos no torneio, mas o Tricolor de Aço ainda tem a vantagem já que conseguiu avançar até as quartas.

Mais números importantes norteiam o ano decisivo do Fortaleza: foi o primeiro lanterna do primeiro turno que escapou do rebaixamento, e, na temporada passada, conseguiu a colocação histórica do quarto lugar, melhor posição de um clube nordestino no atual formato do Brasileirão.

Na temporada de 2022, foram 70 jogos, com 33 vitórias, 19 empates e 18 derrotas, com um aproveitamento de 56,2%. Foram 104 gols marcados e 65 sofridos, em um saldo de 39. Foi bicampeão cearense consecutivo e campeão da Copa do Nordeste.